Pesquisar este blog

domingo, 18 de junho de 2017

Rapidinhas


Joesley e a Rede Globo tentaram mais uma vez envolver o nome do ex-presidente Lula sem a exibição de uma única prova, tudo ilação para atender ao MPF e ao manipulado Juiz Sérgio Moro porque todas as delações servem para buscar incriminar o ex-presidente, entretanto sem conseguir provar absolutamente nada.

Joesley, a arma da Globo contra Temer, é só mais uma peça no tabuleiro anti-Lula   RENATO ROVAI, 18/06/17

A entrevista de Joesley para a revista Época é de uma desfaçatez poucas vezes vista no jornalismo. Porque, em primeiro lugar, não é jornalismo. É um acordo de empresas e empresários.

Orcrim    LELÊ TELES 18/06/17

Com a ORCRIM de Temer há dinheiros em malas, extratos de contas no exterior, maracutaias filmadas, voz dos delinquentes a delinquir... Contra Lula: um apê fuleiro que nunca foi dele e uma chácara com um lago de águas barrentas, que também não é dele. Ah, e um terreno que ele nunca pediu e nunca recebeu.



Por que o Governo, com a cumplicidade da grande imprensa, insiste em sustentar que a economia retomou o crescimento quando os dados atuais, e as análises prospectivas, revelam inteiramente o contrário? Por que os idiotas da TV Globo insistem em dizer que o projeto de lei de abuso da autoridade é contra a Lava Jato?


Não há dúvida da quantidade de bons trabalhos, das boas produções e que universidades/faculdades do país realizam, mas o problema do ensino superior é que esqueceu do bairro, da favela, da periferia, do acampamento, do presídio. Abriu mão do povo.



Se separarmos a espuma do estilo midiático do prefeito, de sua simbiose com o ídolo João Dória, veremos que de sólido nada ainda foi demonstrado em seu governo. Em seis meses, quase nada. Conflitos, intrigas, anúncios de intenções. De firme e factual, pouco ou nada. Anotem o nome: Orlando Morando. Iremos ainda ouvir falar muito dele


As intervenções, falas, entrevistas, aulas magistrais de Ariano Suassuna eram e continuam a ser até hoje impagáveis na memória. Nele, se subverteu aquele princípio que rezava: os escritores são melhores quando lidos


Finalmente, a Direita se vê obrigada a assumir e mostrar publicamente a sua verdadeira face. Despida do eterno pretexto moral que sempre usou no jogo político: o combate à corrupção. Mas o novo discurso da Direita neoliberal, de tão ultrapassado e assustador, não lhe permite ganhar espaço político eleitoral.



Especialmente temerária é a visão conservadora que considera os bancos públicos instituições ineficientes e não lucrativas. O argumento é parcial, totalmente ideológico e passa ao largo de qualquer análise técnica mais aprofundada. Até mesmo os economistas mais conservadores admitem que os bancos públicos são, sim, importantes para o equilíbrio da economia nacional.


E não é que surgiram provas justamente contra aqueles que a Operação Lava Jato ajudou chegar ao poder com a destituição da presidente Dilma Rousseff, uma mulher séria e honesta? Final do filme na Lava Jato: o mocinho era bandido e o bandido era o mocinho.




Em tempos em que aviões despencam e senadores são pegos falando abertamente em matar membros da família, Joesley afirmou que mantinha uma distância segura de Temer. Nem muito perto, nem muito longe, para que nada fosse armado contra ele pelas suas costas. Enquanto isso, Lula é investigado por uma reforma em um triplex, no qual nunca chegou a morar e em um sítio que não lhe pertence. Aguardaremos o novo Power Point, Sr. Dallagnol.


Os novos fatos gerados pelo presidente americano, Donald Trump, voltados para interferência e controle ideológico em Países da América Latina, especialmente o Brasil - muito além de Cuba e Venezuela -, acabam se traduzindo em nova etapa iniciada em solo brasileiro a partir do Mensalão, em 2005, cujo objetivo era implodir a linha Socialista do Brasil e primeiro alvo alcançado era eliminar a ascensão do ex-Ministro José Dirceu.
Postar um comentário