Pesquisar este blog

sábado, 27 de julho de 2013

O silêncio como resposta


sexta-feira, 26 de julho de 2013

Sonhar é preciso


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Trabalhadores, uni-vos!


                           Esta mensagem é para estimular o fortalecimento do Sindicato!

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Deus quer o melhor para nós


Morre, Dominguinhos!



São Paulo – O corpo do sanfoneiro, compositor e cantor Dominguinhos está sendo velado na Assembleia Legislativa de São Paulo, na região do Ibirapuera, na zona sul da capital, desde as 6h. Ele morreu nesta terça-feira (23/7), aos 72 anos, em decorrência de complicações infecciosas e cardíacas. O cantor estava internado no Hospital Sírio-Libanês, desde o dia 13 de janeiro, quando foi transferido do Hospital Santa Joana, no Recife.

O corpo de Dominguinhos será velado em São Paulo até as 16h, e em seguida levado para Recife de avião. Na capital pernambucana, o corpo do músico será velado na Assembleia Legislativa de Pernambuco. De acordo com a viúva, Guadalupe Mendonça, o enterro não deve ocorrer antes de sexta-feira (26/7). “O povo não vai deixar sepultar antes, porque o povo é louco por ele, há uma admiração e um amor muito grande do povo de lá por ele”. O voo que levará o corpo de Dominguinhos para Recife parte às 23h10 do Aeroporto Internacional de Cumbica,
em Guarulhos.

O filho de Dominguinhos, Mauro José Silva de Moraes, destacou a importância do pai na música brasileira. “Ele era muito humilde, respeitava muito as pessoas, fora a musicalidade que para mim não tem igual. Acho que vai ser difícil encontrar um músico como ele”, acrescentando que apesar de morarem em cidades distantes, sempre conversavam por telefone.

Ao chegar na assembleia, o cantor Frank Aguiar disse que o Brasil perde um dos maiores patrimônios musicais e lembrou a influência do sanfoneiro nas carreiras de demais artistas. “Ele era uma pessoa muito afável, querida, humilde, simples, rico de alma. O jeito de tocar, a forma harmoniosa. Ele era um músico de mão cheia. Era gostoso ouvir Dominguinhos tocar e cantar. Ele cantou o amor, a poesia, o regionalismo. Ele cantou a música com a nossa cara”.

Há cerca de seis anos, o sanfoneiro se tratava de um câncer no pulmão. Dominguinhos foi internado na Unidade de Terapia Intensiva Coronariana do Hospital Santa Joana, no Recife, no dia 17 de dezembro, com um quadro de infecção respiratória e arritmia cardíaca. Depois, foi transferido, em janeiro, para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Um exemplo de epidemia


terça-feira, 23 de julho de 2013

O tempo dá respostas


A pergunta que não quer calar: Presidente ou Presidenta?

A nossa aula de português de hoje é muito oportuna e foi elaborada para acabar de vez com toda e qualquer dúvida se tem sobre o termo presidente ou presidenta.

A presidenta foi estudanta? Existe a palavra: PRESIDENTA? Que tal colocarmos um "BASTA" no assunto? No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante...
 
Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade.

Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte. Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não "presidenta", independentemente do sexo que tenha. Diz-se: capela ardente, e não capela "ardenta"; se diz estudante, e não "estudanta"; se diz adolescente, e não "adolescenta"; se diz paciente, e não "pacienta".

Um bom exemplo do erro grosseiro seria: "A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta".

Por favor, pelo amor à língua portuguesa, de hoje em diante não se usa mais o termo PRESIDENTA
Miriam Rita Moro Mine - Universidade Federal do Paraná.
 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Masturbação: como praticar de maneira saudável?


Entenda se existe idade certa e quais os problemas do excesso

Por Carolina Gonçalves - publicado em 11/07/2013

"Do ponto de vista da fisiologia e da saúde, a masturbação é algo natural, parte do desenvolvimento da sexualidade das mulheres e homens", declara o urologista Valter Javaroni, do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia. Um estudo realizado pela Gossard Lingerie, empresa britânica de roupas íntimas, descobriu que 92% das mulheres praticam masturbação. A pesquisa foi feita com mais de 1.000 mulheres com idade entre 18 e 30 anos no Reino Unido, e revelou que nove em cada 10 mulheres admitiram terem se masturbado pelo menos uma vez naquele ano, enquanto dois terços delas davam prazer a si mesmas pelo menos três vezes por semana. Diante desses números é possível afirmar que a prática não é uma exclusividade masculina, tampouco restrita a um pequeno grupo - e como tal deve ser feita com os cuidados adequados, evitando doenças e infecções. Tire suas dúvidas sobre a masturbação com os especialistas:
 
A masturbação é prejudicial à saúde?
Não. Segundo o urologista Valter Javaroni, a masturbação é uma forma de se conhecer melhor, que permite ao homem e à mulher aprenderem a perceber as áreas de maior excitabilidade e as formas de gerar prazer desde o início da vida sexual. "Trata-se de uma prática tão natural que ninguém precisa ser ensinado, aprende-se experimentando, tocando e se conhecendo", diz. A masturbação é uma forma de se preparar para a relação a dois, ou então passar por períodos de ausência de parceiro e ainda sim ter orgasmos. Sendo assim, ela não tem idade para começar e nem para terminar.

Por outro lado, a masturbação não é necessária ou fase obrigatória na vida de todos. "Para alguns, não existe sentido em atingir o orgasmo de maneira solitária, sendo mais agradável com a presença de um parceiro ou parceira", explica o urologista. Fato é que não existem regras quando o assunto é sexo e sexualidade, e que a masturbação pura e simplesmente não traz qualquer malefício à saúde.
 
A masturbação em excesso faz mal?
Qualquer extremo é prejudicial. Se masturbar em excesso ou nunca se masturbar são problemas. "Se você não se masturba nunca porque foi ensinado que não deveria ou sem justificativa racional, isso interfere negativamente na descoberta e formação da sexualidade", explica o urologista Valter. É claro que, como dito anteriormente, a masturbação não é algo obrigatório, mas sua prática ou falta dela deve partir de uma escolha do indivíduo baseada em seus gostos pessoais, não na percepção de que a prática é errada ou lhe fará mal. "Por outro lado, quando a masturbação se torna tão importante que inibe ou diminui a vida social, bem como a descoberta e conquista de parceiros que dividam momento íntimo, ela pode afetar negativamente a saúde sexual", alerta o especialista. Infelizmente, não existe um limite padronizado para o exagero - vai de cada um avaliar se a prática está ou não interferindo em outros aspectos de sua vida. "Um ponto de partida seria perceber se a masturbação solitária está sendo preferida ao relacionamento com parceiro."
 
Usar objetos para masturbação pode causar ferimentos e inflamações?
"Muitas pessoas são felizes utilizando acessórios na masturbação solitária ou junto com o parceiro, não tendo nada de errado com a prática em si", diz a ginecologista Caroline Alexandra Pereira de Souza, especialista em reprodução humana e endoscopia ginecológica. No entanto, é importante que os acessórios sejam feitos para essa finalidade. Devemos ter em mente que a anatomia dos órgãos genitais e regiões erógenas foi feita para aumentar a chance de reprodução e perpetuação da espécie. Por isso o pênis tem uma proteção na ponta, que é macia e suaviza o trauma e impacto do coito, enquanto a vagina é distensível e lubrifica-se para receber o pênis. "Dessa forma, quando vamos usar objetos ou acessórios para aumentar o prazer, é necessário ter cuidados e se certificar de que ele é apropriado para a prática e atende essa anatomia", diz o urologista Valter.

Existem vários acessórios que podem acrescentar algo diferente à prática para escapar da rotina e que são 100% seguros. "Evite improvisar ou adaptar nessa área, pois as complicações são sérias e podem obrigar longos períodos de abstinência para a recuperação", lembra o urologista Valter. Além disso, problemas gerados pelo mau uso de acessórios durante a masturbação levam o paciente ao pronto socorro, situação que pode causar constrangimento. Busque acessórios de qualidade vendidos em lojas especializadas, desenhados e fabricados com essa finalidade e evite usar objetos do cotidiano ou mobília para a prática - você corre o risco de causar feridas em seu órgão sexual e até mesmo infecções.
 
Preciso usar camisinha na masturbação solitária?
Não necessariamente. Havendo higienização dos objetos e lubrificação adequada, a camisinha é dispensável para a masturbação. Mas vale a ressalva: caso a mulher se estimule tanto pela vagina quanto pelo ânus, o ideal seria colocar nas mãos ou no objeto uma camisinha diferente para cada uma das práticas. Dessa forma, mantém-se a higiene e evita que a pessoa interrompa a masturbação para fazer essa lavagem.
 
É necessário usar lubrificante na masturbação?
Depende de cada um. "A própria excitação sexual determina a produção de líquidos fisiológicos que são lubrificantes naturais, tanto no pênis quanto na vagina", explica o urologista Valter. Mas a situação muda quando a masturbação é anal. "Nesse caso é importante utilizar, pois o ânus não possui lubrificação nem quando a pessoa está excitada", diz a ginecologista Caroline. Procure um lubrificante à base de água e nunca use outros produtos, especialmente com álcool na composição. E mesmo na masturbação com a vagina ou pênis, nada impede que seja usado um lubrificante - tudo depende da preferência e conforto de cada um.
 
Posso perder a virgindade me masturbando?
O conceito de virgindade é entendido como ausência de relação sexual com um parceiro. Dessa forma, é impossível uma pessoa perder a virgindade se masturbando. Por outro lado, qualquer estímulo pode ser suficiente para a ruptura do hímen, que é um critério utilizado em perícia para determinar se uma mulher é ou não virgem - mas esse conceito é equivocado. "Uma mulher pode nascer sem hímen, ou ele pode se romper em contato com o dedo, com o vibrador ou até espontaneamente em situações menos comuns", explica o urologista Valter. Dito isso, a ausência de hímen não deve ser considerada um critério para a virgindade feminina, e tampouco a masturbação solitária tirará a virgindade de alguém.
 
Existe risco de contrair alguma DST ao fazer uma masturbação?
Depende. É possível acontecer uma contaminação quando há masturbação mútua e os fluidos sexuais estejam contaminados. "Várias doenças sexualmente transmissíveis não exigem a penetração para ocorrer a transmissão, basta o contato íntimo ou uma ferida nas mãos e dedos da pessoa", explica o urologista Valter, que aponta como exemplo clássico o HPV, vírus que é transmitido apenas pelo contato pele com pele. Caso você não saiba se o seu parceiro ou sua parceira possui alguma DST, prefira fazer o estímulo com camisinha ou então não masturbar a pessoa, praticando apenas o sexo seguro.
 
A masturbação interfere no formato ou no tamanho do órgão genital?
Não. "Essas características são determinadas por fatores genéticos e pelo ambiente intrauterino e pós-nascimento, relacionado com estímulos hormonais e nutrientes necessários para que as diferentes fases de evolução da genitália ocorram de forma normal", explica Valter Javaroni. O desenvolvimento do órgão genital se dá desde o feto até a adolescência, e as variações de tamanho ou formato dependem da saúde do indivíduo.
 
A masturbação pode causar mudanças em nosso corpo?
Não. Frases como "masturbação fará os pelos crescerem" ou "fará os seios se desenvolverem" e outros ditos do tipo não passam de crença, de acordo com os especialistas. "Durante muito tempo, esses mitos foram usados para condenar a prática da masturbação, seja por questões religiosas ou pessoais", diz o urologista Valter. No entanto, a masturbação é uma prática extremamente normal, que se feita com os devidos cuidados não causa qualquer tipo de problema.
 
Quais são os sinais de que há algo errado após ou durante a masturbação?
A dor durante ou depois da prática é o principal indício. "Feridas que não desaparecem espontaneamente 24 horas depois do estímulo também merecem atenção, e o mais recomendado é mostrar para o urologista ou ginecologista o quanto antes", ressalta o urologista Valter. Caso você sinta algo diferente, procure descobrir o que motivou o problema e busque um especialista.
 
A higiene é importante? Como deve ser feita da forma correta?
Uma higiene adequada é de extrema importância, pois só assim é possível estar seguro contra infecções, inflamações e até mesmo doenças. Para homens e mulheres, a higiene antes e depois da prática deve ser feita com água e sabonete neutro, tanto das mãos quanto do órgão genital. "Evite produtos bactericidas ou germicidas que vão acabar destruindo a flora natural da região genital", lembra o urologista Valter. O especialista afirma que um erro comum é o de homens usarem sabonetes íntimos femininos para fazer a higiene. "São situações totalmente diferentes, órgão com formatos diferentes e pH é diferente", completa. O ideal mesmo, para ambos os sexos, é a água com sabonete neutro, inclusive para higienizar os acessórios sexuais.

A atenção fica redobrada quando a masturbação é anal. Nesse caso, precisamos lembrar que as bactérias e germes do reto não devem ser introduzidas na vagina. "O correto é não misturar as coisas, ou então usar preservativo para a introdução anal e retirá-lo ou colocar um novo para praticar o estímulo vaginal." 
 
Fonte:Minha vida, 11/07/2013

Estão brincando com nossa inteligência!


Fonte: Globo TV, 21/06/2013

domingo, 21 de julho de 2013

Telexfree ofereceu garantias de mais R$ 659 milhões para voltar a funcionar


Com bens e valores bloqueados e impedida de operar em todo o Brasil desde o dia 18 de junho por decisão da Justiça do Acre, a empresa Telexfree divulgou neste sábado (20), uma nota de esclarecimento onde informa o oferecimento de garantias financeiras no valor de mais de R$ 659 milhões ao Juízo da 2ª Vara Cível de Rio Branco na tentativa de desbloquear suas contas e recomeçar as operações e como forma de garantir o ressarcimento dos investidores.

A empresa aguarda uma resposta do Judiciário acreano sobre o pedido, que ainda não foi aceito, segundo a nota, porque na semana em que foi protocolado 'todos os juízes das cinco varas cíveis de Rio Branco encontravam-se de férias, e a magistrada substituta vive na cidade de Manoel Urbano, comarca 226 Km distante de Rio Branco'.

A Telexfree e seus divulgadores estão aguardando também o julgamento do mérito do recurso interposto pela empresa, que deve acontecer, segundo o advogado que defende a empresa no Acre, Roberto Duarte, 'provavelmente' no próximo dia 29. Ele afirma que mais detalhes sobre o pedido, para dispor a garantia financeira, poderiam ser conhecidos a partir da próxima semana.

"Na segunda-feira posso dar mais detalhes. A nota de esclarecimento é bem clara nesse sentido. Não tenho como dar maiores informações nesse momento", limitou-se a comentar a defesa.

De acordo com a nota, em seu último parágrafo, 'a Telexfree está se defendendo de forma vigorosa perante o Poder Judiciário do Acre e confia plenamente na Justiça brasileira que certamente reparará uma das decisões judiciais mais danosas da história do empreendedorismo brasileiro'.
Fonte: G1, 20/07/13

A lógica japonesa e a brasileira


Aprovação escolar automática: qual sua posição a respeito?


O amor sempre merece revanche!

"Uma mágoa não é motivo pra outra mágoa. Uma lágrima não é motivo pra outra lágrima. Uma dor não é motivo pra outra dor. Só o riso, o amor e o prazer merecem revanche. O resto, mais que perda de tempo, é perda de vida."
                                                         Chico Xavier

sábado, 13 de julho de 2013

PEC que determina perda automática de mandato de condenados vai para a CCJ

Senadores tentarão votar na CCJ, na semana que vem, a proposta - apelidada como PEC dos mensaleiros - que determina a perda automática do mandato dos parlamentares condenados


João Valadares
Publicação: 13/07/2013 06:02 Atualização:

Vital do Rêgo, presidente da CCJ, busca quórum para votação da PEC 18 na próxima quarta-feira (Ronaldo de Oliveira/CB/D.A Press - 29/8/12)
Vital do Rêgo, presidente da CCJ, busca quórum para votação da PEC 18 na próxima quarta-feira

Diante da possibilidade de recesso branco a partir de quinta-feira, um grupo de senadores ainda articula o último suspiro da chamada pauta positiva. A Proposta de Emenda Constitucional nº 18/2013, apelidada de PEC dos mensaleiros, que determina a perda automática de mandato parlamentar após condenação transitada em julgado por improbidade administrativa ou crime contra a administração pública, foi pautada para votação, quarta-feira, na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Após forte pressão do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), autor da proposta, o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) entregou ontem o relatório. Jarbas chegou a dizer que o Senado vive a falsa sensação de dever cumprido em relação às reivindicações das ruas e criticou o presidente da CCJ, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). De acordo com o ele, o colega de legenda fazia “ouvido de mercador em relação ao tema”. O parlamentar pernambucano queria Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) como relator da matéria.

Ontem, Vital do Rêgo disse não entender o ataque. “Peguei a proposta e distribuí. Aloysio Nunes estava sobrecarregado. É um dos que mais recebe matéria. O senador Jarbas tem instrumento para levar direto ao plenário, por meio de requerimento. Ele não fez”, afirmou. Vital acredita que, na quarta-feira, haverá quórum para votação. É necessária a presença de 14 dos 27 membros da comissão. O relatório de Eduardo Braga, concluído ontem, é favorável à PEC 18.
 
Fonte: Correio Braziliense, 13/07/2013

domingo, 7 de julho de 2013

Mensagem no facebook alerta que a Lei 12.830/2013 é a PEC 37 "disfarçada"

Postado por Daniela Novais 22:11:00 30/06/2013
Crédito : Reprodução Facebook

Nos últimos dias, muitas pessoas têm compartilhado nas redes uma mensagem informando sobre a Lei 12.830/2013, que dispõe sobre a investigação criminal conduzida pelo Delegado de Polícia, sancionada no dia 20 de junho e que seria um engodo e representaria o mesmo que propunha a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 37/2011. 

No mesmo dia, as manifestações pelo país registraram o maior público e uma das demandas de muitos era exatamente a derrubada da proposta. O que falta informar é que o artigo da lei que limitava a atividade de investigação a delegados foi exatamente o alvo do veto da presidente Dilma Rousseff. 

No dia 25, a PEC 37 foi rejeitada pelo plenário da Câmara dos Deputados, por 430 votos contrários e 9 favoráveis, além de duas abstenções. Se fosse aprovada, o poder de investigação criminal seria exclusivo das polícias federal e civis, retirando esta atribuição de alguns órgãos e, sobretudo, do Ministério Público (MP). A Lei 12.830/2013 também tinha um dispositivo que previa basicamente a mesma coisa. O artigo § 3º dizia “O delegado de polícia conduzirá a investigação criminal de acordo com seu livre convencimento técnico-jurídico, com isenção e imparcialidade”.

Se fosse mantido, o artigo determinava com o termo “livre convencimento”, que o delegado poderia deixar de atender as requisições do Ministério Público ou do Poder Judiciário. O veto teve por fundamento a contrariedade ao interesse público, ao causar “conflito” com as atribuições de outras instituições.

Na mensagem Dilma destacou: “Da forma como o dispositivo foi redigido, a referência ao convencimento técnico-jurídico poderia sugerir um conflito com as atribuições investigativas de outras instituições, previstas na Constituição Federal e no Código de Processo Penal. Desta forma, é preciso buscar uma solução redacional que assegure as prerrogativas funcionais dos delegados de polícias e a convivência harmoniosa entre as instituições responsáveis pela persecução penal”.

Isso quer dizer que, ao contrário de ser um “engodo da presidência” para limitar a atuação do Ministério Público, o veto tem exatamente o efeito contrário. Confira o texto da Lei 12.830/2013 na íntegra aqui e a Mensagem de veto aqui.

Fonte: Brasilia em pauta, 308/06/2013

Peça com fé!


Pirâmide governamental


quinta-feira, 4 de julho de 2013

Governo tem medo de povo consciente


Governador não vê indícios de crime por parte da Telexfree

O governador Tião Viana declarou apoio aos empreendedores da empresa de marketing multinível. “Eu não tenho nada contra o Telex-free e não vejo nada errado nele até que provem o contrário”, disse Tião Viana. “Apoio todo tipo de manifestação pacífica, mas entendo que o Estado não tem que se meter nestas relações da sociedade. Eu nunca vi ninguém reclamar que foi lesado pelo Telexfree e no Procon não há reclamação alguma”.