Pesquisar este blog

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Rússia e China isolam Trump, que passa a considerar diplomacia na Coreia do Norte


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, encontrou duas grandes pedras em seu caminho, em sua escalada retórica contra a Coreia do Norte: a Rússia e a China.

Nesta sexta-feira, os governos de Vladimir Putin e Xi Jinping se opuseram frontalmente ao uso da violência contra o governo de Pyongyang.

Isolado, Trump passou a reconhecer o uso da diplomacia como o melhor meio para solucionar o conflito na região, sem, no entanto, descartar a alternativa militar.

Mídia global destaca a greve geral que os nacionais esconderam


Enquanto a mídia nacional tentou esconder ou minimizar a greve geral contra as reformas previdenciária e trabalhista que deixou o país em letargia nesta sexta-feiira (28), a mídia internacional deu destaque ao movimento que ganhou as ruas do país.

Os jornais como El País, Clarín, BBC, The Wall Street Journal e Deusth Welle destacaram a paralisação em suas páginas na internet.

"Os sindicatos decidiram desafiar (o presidente Michel Temer) nas ruas e nesta sexta-feira o submetem a uma prova de fogo com a convocação de uma greve geral que encontrou apoio inesperado além das tradicionais alas da esquerda", diz o espanhol El País.

"Em São Paulo - maior cidade do país - a maioria dos ônibus e das linhas de trem e metrô não estão operando. Poucas pessoas estão nas ruas e a sensação é que de hoje é feriado", destaca a BBC.

Contra desmonte de Temer, até freiras aderem à greve geral


"É isto aí, irmãs! O Papa Francisco se ver vai ficar orgulhoso de vocês. Igreja que saí às ruas! Será que alguém as chamou de vagabundas petralhas?????", postou "O Lembrador", em seu Facebook. 

A greve geral foi contra o desmonte da previdência e dos direitos trabalhistas produzido por Michel Temer e entra para a história como a maior do País.

Lula comemora sucesso da greve geral e diz que povo deve continuar lutando


Ex-presidente Lula afirmou que a greve geral desta sexta-feira (28) contra as reformas do governo Temer é um "sucesso total".

"As pessoas resolveram paralisar em protesto contra a retirada de direitos, contra a reforma trabalhista, a reforma da Previdência, desemprego e redução salarial", disse.

Em entrevista à Rádio Brasil Atual, Lula disse não ver outra saída para a crise atual a não ser a mobilização popular.

"Lamento profundamente, mas não tem outro jeito senão continuar lutando para recuperar e melhorar direitos e a qualidade de vida do povo brasileiro", destacou.

"Se quiserem resolver o problema da Previdência, é preciso que a economia volte a crescer. É simples. Mas esse governo só sabe cortar".

Renan avisa: Senado vai ouvir trabalhadores


Ex-presidente do Congresso e atual líder do PMDB, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) reconheceu a força da greve geral desta sexta-feira e disse que o Senado não vai aceitar a reforma trabalhista da forma como ela foi votada na Câmara dos Deputados; "uma discussão dessa importância, num momento de desemprego agudo como o atual, não pode ser votada de atropelo, na calada da noite", disse Renan ao 247.

Segundo ele, as paralisações desta sexta-feira foram muito fortes em todo o País, o que impõe a necessidade de diálogo.

"Nós vamos chamar os trabalhadores e cada uma das centrais sindicais para discutir todos os pontos da reforma", disse Renan.

Ele afirmou ainda que a experiência internacional demonstra que, onde houve retirada de direitos e garantias sociais, não se viu nenhum aumento significativo dos empregos, "ao contrário, só houve precarização".

Dilma fala: "Hoje meu coração se enche de esperança"


"Estamos do lado certo. Meu coração se enche de esperança. Vamos em frente. A luta por dias melhores para todos os brasileiros está apenas começando. A ampliação da democracia nos levará à vitória", disse a presidente legítima Dilma Rousseff, deposta pelo golpe de 2016, em nota divulgada nesta sexta-feira 28, em que uma greve geral parou o País.

Segundo ela, o povo brasileiro está de parabéns porque "foi às ruas contra um governo golpista que promove o mais brutal ataque aos direitos dos trabalhadores e que compromete o futuro dos nossos filhos e netos, com um retrocesso na previdência que é perverso e sombrio".

IBOPE: potencial de voto em Lula dispara

Rejeição a tucanos também

Conversa Afiada, 28/04/2017
Juiz de Fora (MG) está na #GreveGeral! (Crédito: Mídia Ninja)


O IBOPE Inteligência perguntou aos brasileiros o potencial de voto e a rejeição dos possíveis pré-candidatos à presidência da República nas eleições de 2018. Dentre os nomes pesquisados, o ex-presidente é o que possui o maior potencial de votos.

Lula tem, hoje, um potencial de voto de 47% dos eleitores brasileiros: 30% dizem que votariam com certeza - o maior dentre todos os nomes pesquisados - e 17% declaram que poderiam votar nele para presidente em 2018. Na sequência, aparecem Marina Silva com 33% (9% com certeza votariam e 24% poderiam votar), José Serra com 25% (7% e 18%), Geraldo Alckmin com 22% (7% e 15%), Aécio Neves também com 22% (6% e 16%), Joaquim Barbosa com 24% (12% e 12%), Ciro Gomes com 18% (5% e 13%), Bolsonaro com 17% (8% e 9%) e João Doria com 16% (6% e 10%). 


Já no outro lado, o da rejeição, três nomes do PSDB aparecem à frente do ex-presidente. Aécio Neves é, dentre os nomes testados, o que tem a maior rejeição dos entrevistados: 62% não votariam nele de jeito nenhum para presidente da República em 2018. O segundo mais rejeitado é José Serra, com 58%, seguido de Geraldo Alckmin (54%), Lula (51%), Marina (50%), Ciro Gomes (49%), Bolsonaro (42%), João Doria (36%) e Joaquim Barbosa (32%).

Em relação a abril do ano passado, quando essa pergunta também foi feita aos brasileiros, a rejeição ao ex-presidente diminuiu 14 pontos percentuais (de 65% para 51%), sendo a única que recuou no período. A rejeição aos demais nomes subiu. A rejeição de Aécio aumenta 9 pontos; a de Bolsonaro, oito; a de Marina, quatro. A rejeição de Serra, Ciro Gomes e a de Alckmin oscila 1 ponto para cima. Joaquim Barbosa e João Doria são testados pela primeira vez na pesquisa.

(...)

Ontem, noticiários da Globo ignoraram a greve geral de hoje

Blog do Mauricio Stycer, 28/04/2017

Convocada por centrais sindicais, em protesto contra as propostas de reforma trabalhista e da Previdência, uma greve geral tem atos programados nesta sexta-feira (28) em 24 Estados e no Distrito Federal. Sob qualquer ângulo que se olhe o assunto, concorde-se ou não com o movimento, trata-se de notícia de interesse público.

Pois os telejornais da Globo ignoraram completamente o tema nesta quinta-feira (27). Nenhuma notícia sobre a convocação da greve, nem sobre os eventuais efeitos que pode causar em áreas de interesse do espectador, como transporte, saúde e educação, foi ao ar.

O “SPTV” segunda edição, que sempre presta serviço aos espectadores em caso de decretação de greves em serviços essenciais, não tratou do protesto que ocorrerá nesta sexta-feira em São Paulo. O principal telejornal da emissora, o “Jornal Nacional”, igualmente ignorou o assunto, apesar de o movimento ter alcance nacional.

O blog não conseguiu apurar o que levou a Globo a tomar uma decisão tão drástica. Mas parece claro, nos dias de hoje, com tantas fontes de informação disponíveis, que o silêncio da maior emissora do país faz mais barulho do que qualquer notícia que ela tivesse dado sobre o assunto.

Atualizado às 9h: Apresentador do “Bom Dia RJ”, o jornalista Flavio Fachel respondeu na noite quinta-feira a seguidores que o questionaram no Twitter sobre a razão de a Globo não ter noticiado a decretação da greve em seus noticiários: “O que é notícia? O que acontece. E a greve? Se acontecer, a notícia é amanhã. #Jornalismo”.

Veja também

28/04/2017 - A maior greve da História do Brasil!

Cascavel (PR) mobilizada na luta contra os ataques dos Golpistas (Crédito: Mídia Ninja)
Palácio Rio Branco lotado no Acre. A greve geral tomou conta do país! (Via Mídia Ninja): 
Crédito: Sergio de Carvalho

11:24 - Belo Horizonte (MG) - Mesmo sob forte chuva e com a cidade parada, sem transporte público circulando, milhares de pessoas se reúnem na Praça da Estação em Belo Horizonte onde ocorre um ato contra as Reformas da Previdência e Trabalhistas e pela Greve Geral. #BrasilEmGreve (Via Mídia Ninja): Crédito: Mídia Ninja

9:10 - Aracaju (SE): trabalhadores cruzaram os braços e foram às ruas na luta pelos seus direitos, em #GreveGeral! (Via Mídia Ninja): Crédito: Leo Oliva

9:02 - São Paulo (SP) - Marcha do Capão Redondo/Campo Limpo chegou ao Terminal João Dias!   Crédito: Pedro Caramuru

8:21 - São Paulo (SP) - estudantes secundaristas paralisam a Rua da Consolação. Relatos de repressão por parte da Polícia Militar:  Crédito: Michel Lancman Sarfatti

12:02 - Foz do Iguaçu (PR) Avenida Brasil ficou pequena!!!  CUT Brasil @CUT_Brasil

Contra desmonte de Temer, intelectuais se unem no Projeto Brasil Nação


Maior movimento já criado contra o governo Michel Temer e em prol do desenvolvimento do País, o manifesto reúne mais de 8 mil assinaturas de personalidades de diferentes áreas, como o economista e ex-ministro Luis Carlos Bresser-Pereira, o diplomata e ex-ministro Celso Amorim, o escritor Raduan Nassar, o jurista Fábio Konder Comparato, a jornalista Eleonora de Lucena e o ator Wagner Moura, entre vários outros.

"Privatizar e desnacionalizar monopólios serve apenas para aumentar os ganhos de rentistas nacionais e estrangeiros e endividar o país. O desmonte do país só levará à dependência colonial e ao empobrecimento dos cidadãos, minando qualquer projeto de desenvolvimento", afirma o texto.

Projeto Brasil Nação, que será lançado nesta noite no Largo São Francisco, em São Paulo, tem como pilares "autonomia nacional, democracia, liberdade individual, desenvolvimento econômico, diminuição da desigualdade, segurança e proteção do ambiente".

Triplex não estava reservado para Lula, diz diretor da OAS

Depoimento de Fábio Hori Yonamine à Lava Jato 

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o ex-diretor-financeiro e presidente da OAS Empreendimentos, Fabio Yonamine, disse que Léo Pinheiro nunca afirmou que o ex-presidente Lula tinha um apartamento "reservado" no Condomínio Solaris, no Guarujá.

"Doutor Léo nunca me disse que tinha uma unidade reservada para o ex-presidente", disse Yonamine nos minutos finais de seu depoimento a Moro, que durou cerca de duas horas. Segundo o executivo, o apartamento 164-A era, no seu entendimento, um "estoque" da OAS, "não era uma unidade reservada para Lula".

Renan promete barrar fim da CLT no Senado

Ainda resta uma esperança!

Líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros afirmou nesta quinta-feira 27 que o texto que destruiu conquistas da CLT, chamado pelo governo Michel Temer de "reforma trabalhista", não deve ser aprovado pelo Senado.

"Não acredito que essa reforma saia da Câmara e chegue aqui, ao Senado Federal - reforma de ouvidos moucos, sem consultar opiniões, reforma que só interessa à banca, ao sistema financeiro, rejeitada em peso e de cabo a rabo pela população", disparou.

Para Renan, a proposta vai aprofundar a desigualdade social. "Querem um Brasil para 70 ou 80 milhões de pessoas. Somos 200 milhões e não podemos simplesmente fazer de conta que não existem 120 ou 130 milhões de pessoas. Com essa reforma, elas podem voltar a ficar excluídas, são empurradas de volta para guetos onde padece a legião de 'ninguéns'".

Principais aeroportos do País param nesta sexta contra reformas de Temer


Aeroviários de Guarulhos, Recife, Porto Alegre e os trabalhadores da base do Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA) aprovaram em assembleias adesão à Greve Geral, confirmando que o País ficará paralisado nesta sexta-feira, 28, em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência de Michel Temer.

A greve nos aeroportos deve iniciar a partir das 5h da manhã e envolverá funcionários nas empresas aéreas que atuam no check-in, auxiliar de serviços gerais, mecânicos de pista, despachantes de voo entre outros cargos.

Já pilotos e comissários de voo decidiram não parar.

"É importante a unidade dos trabalhadores da aviação civil nesta greve geral do dia 28 de abril. Direitos históricos, que foram conquistados arduamente, estão ameaçados caso essas reformas sejam implementadas", diz o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores em Avião Civil (Fentac), Sergio Dias.

Quase 100 bispos católicos ja declararam apoio à greve geral


Greve geral desta sexta-feira, 28, que deve paralisar o País contra as reformas trabalhista e da Previdência de Michel Temer está tendo apoio maciço de religiosos, especialmente da Igreja Católica.

Até o momento, 89 bispos católicos já declararam apoio à paralisação e estão convocando os fieis a fazerem o mesmo.

A adesão semelhante da Igreja só aconteceu na Ditadura Militar.

Os líderes católicos que apoiam a greve geral estão em todas as regiões do País.

Confira lista dos religiosos que estão empenhados na luta contra a destruição dos diretos dos trabalhadores proposta por um presidente apoiado por apenas 4% da população.

Dilma põe TSE em saia justa ao pedir o mesmo tratamento dado a Aécio

Será que o Tribunal vai negar?

Presidente deposta Dilma Rousseff solicitou ao ministro Herman Benjamin, relator da ação de cassação da chapa Dilma-Temer no TSE, que ofereça a ela a mesma decisão do presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes, que suspendeu depoimento do senador Aécio Neves (PSDB) no inquérito da Lista de Furnas até que que ele tenha acesso ao depoimento dos demais envolvidos.

O argumento utilizado para solicitar a isonomia é que Dilma tem sido acusada em delações premiadas, mas não teve acesso aos autos e à íntegra dos depoimentos, colhidos por autoridades da Lava Jato e vazadas seletivamente para a imprensa.

“A situação jurídica é esdrúxula”, disse o advogado Flávio Caetano.

“Os acusadores perante o TSE, senadores Aécio Neves e Aloisio Nunes, conseguiram como acusados perante o STF o acesso prévio a depoimento de colaboradores premiados, mas Dilma Rousseff, não”.

Greve geral vai parar o País. Temer uniu o Brasil contra ele


Com adesão de dezenas de categorias de trabalhadores das mais diversas áreas, a greve geral desta sexta-feira 28 contra as reformas de Michel Temer, aprovado por apenas 4% dos brasileiros, deve paralisar todo o País e comprovar a tragédia do golpe, que está prestes a completar um ano.

Nos 26 estados e Distrito Federal, já aderiram a que promete ser a maior greve que o País já viu desde a redemocratização professores estaduais, municipais e da rede privada, servidores públicos, motoristas, metroviários, petroleiros, metalúrgicos, comerciários, aeroviários, profissionais da Saúde, bancários, artistas, servidores da Justiça e muitos outros trabalhadores.

Numa importante demonstração de união, o País dirá em uníssono a Michel Temer: "Não às reformas".

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Golpe enterra a CLT

Michel Temer, que chegou ao poder por meio de um golpe parlamentar, consegue aprovar no Congresso sua reforma trabalhista, que privilegia o negociado sobre o legislado.

Isso significa que direitos antes consagrados na CLT poderão ser sacrificados, se houver acordo entre patrões e empregados.

O texto-base foi aprovado na noite desta quarta-feira 26 por 296 votos a 177.

A base de Temer ainda tentou uma manobra para que a votação não fosse nominal, e a população não pudesse saber quem apoiou o fim de direitos trabalhistas, mas a oposição conseguiu evitar.

Os deputados contra a reforma levaram cartazes com a imagem da CLT rasgada, além de caixões e cruzes, para denunciar a morte das leis trabalhistas.

Projeto que flexibiliza a legislação trabalhista é aprovado pelo Plenário da Câmara e segue para o Senado. Críticos da proposta veem nela o maior ataque aos direitos trabalhador brasileiro na história. Defensores afirmam que ela é importante para reduzir o desemprego

Antonio Cruz/Agência Brasil

Rodrigo Maia enfrentou protestos durante todo o dia em plenário.

Câmara aprova reforma trabalhista e altera quase cem pontos da CLT. Veja as principais mudanças.

Só oito partidos orientaram voto contra a reforma trabalhista: PT, PDT, Psol, PCdoB, Rede, PSB, SD e PMB. O PHS liberou a bancada. Os demais apoiaram a reforma.

terça-feira, 25 de abril de 2017

A mobilização é um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo

time25 abr 2017, 20h57 VEJA

Metroviários realizam assembleia para definição da greve, na sede do sindicato, no bairro do Tatuapé em São Paulo (SP) - 14/03/2017 (Willian Moreira/Futura Press/Folhapress)

Até a tarde desta terça-feira, pelo menos outra sete categorias sindicais confirmaram que vão aderir à paralisação do dia 28 de abril, proposta pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras centrais sindicais contra às reformas trabalhista e previdenciária do governo do presidente Michel Temer.

Além das categorias que já confirmaram paralisação, Funcionários da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos fazem assembleia no início da noite desta terça para decidir se aderem ou não ao ato marcado para o dia 28.

Na última sexta-feira, sete sindicatos (dos metroviários, rodoviários, bancários, correios, servidores municipais, professores municipais e professores estaduais) haviam decidido fazer parte do protesto e paralisar suas atividades.

Dilma cobra provas de João Santana e Mônica Moura



Presidente deposta Dilma Rousseff desafiou os marqueteiros João Santana e Mônica Moura a provarem que ela tinha conhecimento de uso de dinheiro de caixa dois em sua campanha presidencial de 2014.

A defesa de Dilma apresentou nesta terça-feira, 25, três petições ao ministro Herman Benjamin, relator da ação de cassação da chapa Dilma-Temer no TSE.

Entre os pedidos, que Santana e Moura sejam intimados a apresentar, em 48 horas, as provas daquilo que alegaram em depoimento ao TSE.

"Os advogados de Dilma esperam exercitar a plenitude do direito de defesa da presidenta eleita e demonstrar as mentiras apresentadas perante a Justiça Eleitoral, tanto pelos executivos do grupo Odebrecht quanto pelo casal João Santana e Monica Moura. Isso já ocorreu em relação a outro delator, o senhor Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez, que prestou falso testemunho perante a Justiça Eleitoral", diz a assessoria de imprensa de Dilma.

Ciro Gomes quer povo na rua


"A Nação precisa lutar unida contra a injustiça e os privilégios! Vamos para o Brasil e mostrar o valor de nosso povo!", escreveu o ex-ministro Ciro Gomes nesta terça-feira (24), em seu Facebook.

O pré-candidato à Presidência em 2018 vem utilizando as redes sociais para convocar a população a participar da greve geral marcada para esta sexta-feira (28) em todo o País.

Dezenas de categorias de trabalhadores confirmam participação na paralisação, que pode ser a maior desde a redemocratização.

O transporte coletivo por ônibus, metrô e trens será um dos setores com maior participação na mobilização, com paralisações já confirmadas na região metropolitana de São Paulo e mais 17 capitais.

Bancários, urbanitários, servidores da saúde pública, professores, metalúrgicos e comerciários também confirmaram adesão à greve; religiosas da igreja Católica e evangélicos também aderiram à greve geral.

Cassar Lula é cassar a democracia e a política


"Gostem ou não de Lula, do PT e de outros partidos de esquerda, o fato concreto é o de que a sua pré-candidatura é única que, até agora, se apresenta com credibilidade suficiente para se antepor à agenda ultraneoliberal do golpe, a mesma que se esgotou nos EUA e na Europa", diz o colunista Marcelo Zero.

"Tirar Lula da disputa no 'tapetão' da Lava Jato messiânica e partidarizada representaria transformar as próximas eleições em simulacro de disputa real. Significaria apostar na 'pós-política' contra a política e na 'pós-democracia' contra a democracia".

"Lula, mesmo que perca, daria credibilidade à disputa política e legitimidade, durante algum tempo, a quem ganhar. Já uma disputa sem a candidatura popular de Lula será mais um desastre para a combalida democracia brasileira. A cassação de Lula seria a cassação da democracia".

CNBB pede mobilização contra reformas de Temer e pode apoiar greve geral


Secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, afirmou nesta quarta-feira 25, em entrevista ao site da CNBB, que "reformas de tamanha importância não podem ser conduzidas sem esse amplo debate", como as propostas do governo Temer para mudar as regras da Previdência e trabalhista.

"Certamente o conteúdo das manifestações se dará no sentido de defesa dos direitos dos trabalhadores do campo e da cidade, de modo muito particular dos mais pobres", diz Steiner.

"O movimento sinaliza que a sociedade quer o diálogo, quer participar, quer dar sua contribuição", completou.

A conferência está reunida em Aparecida (SP) para sua assembleia geral, da qual pode gerar um posicionamento mais assertivo contra as reformas e a greve geral do dia 28 nesta semana.

“Moro fumou erva estragada”, diz Requião sobre críticas à lei de abuso de autoridade


Durante entrevista à Rádio Bandeirantes, o senador Roberto Requião respondeu ao artigo que Sergio Moro publicou no jornal O Globo, nesta terça (25), criticando o projeto de lei que pune abusos de autoridade, da seguinte maneira: "Eu diria que Moro andou fumando erva estragada. Meu projeto não diz isso [que o juiz pode ser punido por errar a interpretação da lei]. Meu projeto não criminaliza o erro. O erro será corrigido em instâncias superiores. O projeto diz o seguinte: a interpretação divergente necessariamente razoável não será punida. Eu jamais iria punir o equívoco de interpretação de um juiz."

China envia 100 mil homens para fronteira com Coreia e eleva tensão na região


China enviou um grupo de 100 mil militares para a sua fronteira com a Coreia do Norte, como parte de uma estratégia preventiva diante das fortes tensões na Península Coreana.

A medida foi tomada há algumas semanas após os EUA anunciarem que deslocaram o porta-aviões USS Carl Vinson e parte da sua frota, incluindo um submarino nuclear, à península, para a realização de exercícios militares conjuntos com os navios de guerra japoneses Ashagara e Samidare, além da participação de tropas sul-coreanas.

Valor legal do depoimento de Léo Pinheiro é nenhum, zero


"Não se tratava de uma delação premiada – na qual o réu dá o depoimento sob juramento. Léo Pinheiro depôs na condição de co-réu, circunstância que o exime de depor, depondo, o livra do juramento. Ou seja, pode mentir, inventar, tergiversar sem risco", destaca o jornalista, que questiona "qual a intenção de Moro e dos procuradores, então, de arrancar essa delação informal?".

Luis Nassif também destaca um "momento de bom senso da Lava Jato", em seu acordo de leniência firmado com a Odebrecht.

Igrejas Evangélicas também dizem não às reformas e chamam para a greve geral


Depois da Igreja Católica, as Igrejas Evangélicas também assinaram um manifesto em que criticam as reformas Trabalhista e da Previdência propostas pelo governo Michel Temer e chamam a população para a greve geral do dia 28, que protesta contra a retirada dos direitos trabalhistas.

O pronunciamento oficial, assinado pelos presidentes e representantes das Igrejas Evangélicas Históricas brasileiras, critica diversos pontos das reformas.

STF revoga prisão domiciliar e põe Bumlai em liberdade


Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu revogar a prisão domiciliar do empresário José Carlos Bumlai, condenado a mais de nove anos de prisão pelo juiz Sérgio Moro na Operação Lava Jato.

Com a decisão, Bumlai ficará em liberdade e deverá cumprir medidas cautelares, que deverão ser concedidas e fiscalizadas pela primeira instância.

A decisão tomada pelo colegiado derruba liminar deferida pelo antigo relator da Lava Jato no STF, ministro Teori Zavascki, que morreu em janeiro.

Reinaldo diz que razão do adiamento da audiência com Lula é ‘falta de prova’


"Se o depoimento do petista ao juiz for mesmo adiado", não é a decisão de prender Lula nem o medinho de Sergio Moro o possível motivo, "é outra coisa que está na raiz da decisão. E atende pelo nome de 'prova'. Ou falta dela", diz o blogueiro de Veja.

Reinaldo Azevedo afirma que ele próprio acredita que o triplex era de Lula, assim como outros jornalistas, mas que os documentos da OAS "apontam que não".

"O estado de direito pede que o órgão acusador forneça a prova de que é", diz.

Segundo Dilma, só um novo golpe impedirá a volta de Lula


De passagem pelo México nesta segunda-feira 24, onde participou do seminário "América Latina: política, futuro, igualdade", a presidente deposta Dilma Rousseff declarou ao jornal La Jornada, antes de sua palestra, que apenas "por meios golpistas é possível invalidar um processo de eleição livre, direta, onde se respeite o voto popular", e assim, evitar o triunfo do ex-presidente Lula nas eleições.

"Apesar de darem grande espaço nos meios de comunicação para destruir sua biografia, ele é o mais apoiado. Depois dele, quem tem mais apoio é de extrema direita", lembrou.

Dilma Rousseff ressaltou que "a América Latina está num processo de retorno ao neoliberalismo".

Lula diz que duvida que Dilma tenha tratado de Caixa 2

Lula fala para a rádio Cidade 94 FM do Rio Grande do Norte

"Eu duvido que a Dilma tenha conversado sobre caixa 2 com o João Santana ou quem quer que seja. Finança de campanhas não se discute com presidente da República." 

"O presidente tem um tesoureiro, é ele quem cuida de finança", disse o ex-presidente em entrevista a rádio do Rio Grande do Norte nesta manhã, rebatendo depoimento do casal João Santana e Monica Moura feito nesta segunda-feira 24, em que afirmaram ter conversado diretamente com Dilma Rousseff sobre o pagamento de caixa 2 na campanha presidencial de 2014.

Sobre seu depoimento ao juiz Sergio Moro, Lula declarou: "Eu não tenho que levar nada. Quem tem que levar provas para me condenar são eles. Porque sem provas não se faz Justiça nesse país. Eu não sei se eles exageraram, qual é a dificuldade que eles estão tendo...", disse.

"Mentiram ao meu respeito há 3 anos e agora estão com dificuldades de provar todas as mentiras", declarou ainda, em uma crítica à imprensa.

A "delação combinada" , entre empreiteiros, marqueteiros e justiceiros

Uma vergonha sem precedentes!

"A Globo e a Lava Jato assumem ser dispensável, no regime de exceção, 'afirmar a verdade ou a exatidão de ato', tampouco 'provar verdadeiro.

Comprovar'. Para a ditadura jurídico-midiática, não é necessário produzir provas.

Bastam suas próprias convicções condenatórias e os preconceitos e ódios nutridos contra os inimigos ideológicos", diz o colunista Jeferson Miola sobre os depoimentos de João Santana e Monica Moura à Justiça Eleitoral.

"Em três anos de Operação, e diante da incapacidade de produzir provas para acusar Lula e Dilma, a Lava Jato passou a torturar psicologicamente e a chantagear empreiteiros e marqueteiros presos [ou condenados] para extrair confissões e incriminações falsas em troca de redução das condenações e de outros benefícios penais", afirma.

Rapidinhas

STF pode soltar ex-ministro José Dirceu nesta terça - O STF (Supremo Tribunal Federal) pode determinar nesta terça (25) que José Dirceu saia da prisão. O habeas corpus apresentado por seus advogados será apreciado por cinco ministros de uma das turmas do STF.

OlharesHá uma grande expectativa na comunidade jurídica em torno do julgamento: caso os magistrados determinem que Dirceu seja posto em liberdade, será uma sinalização de que o STF estaria disposto a rever as "alongadas prisões que se determinam em Curitiba, termo já usado por um dos ministros da turma, Gilmar Mendes. Caso Dirceu permaneça detido, o resultado será visto como um endosso da Corte às detenções determinadas pelo juiz Sergio Moro.

DegrauO argumento para que Dirceu seja solto é o de que, embora condenado por duas vezes pelo juiz Sergio Moro, o caso dele ainda não foi julgado em segunda instância. E a lei determina que o acusado responda em liberdade até que isso ocorra.

DoutrinaO mesmo fundamento embasou a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, que colocou o goleiro Bruno em liberdade em fevereiro.

Doutrina 2Fazem parte da segunda turma os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Edson Fachin.

MultidãoJá são mais de 20 os executivos da OAS que devem aderir ao acordo de colaboração da empreiteira com a Lava Jato, além do ex-presidente da empresa, Léo Pinheiro, e de seus acionistas. A conta pode chegar a quarenta, segundo pessoa familiarizada com as tratativas.

Primeira linhaO advogado Antonio Claudio Mariz de Oliveira assumiu a defesa do colega Roberto Teixeira (que advoga para Lula) no caso da compra de um terreno para o instituto Lula e de um apartamento vizinho ao do petista.

A quedaA eventual decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de limitar o foro privilegiado a quem cometeu o crime no mandato parlamentar pode ter consequências drásticas para os investigados da Lava Jato que estão hoje sob a jurisdição da Suprema Corte. Se prevalecer a proposta, do ministro Luís Roberto Barroso, boa parte dos inquéritos descerá imediatamente para a primeira instância.

A queda 2É o caso, por exemplo, das investigações os tucanos Aécio Neves e José Serra. Eles são acusados de crimes quando ocupavam outros cargos. Os dois negam as irregularidades.

Tudo paradoPor se tratar de norma processual, diz um magistrado, a aplicação é imediata. "E ninguém tem direito adquirido a um sistema que não funciona", diz o mesmo ministro do Supremo.

MascoteO recurso do Procon de SP para que campanha publicitária "Mascotes", da Sadia, seja considerada abusiva será julgado nesta terça (25). Veiculada durante os Jogos Pan Americanos no Rio, a campanha oferecia bichos de pelúcia a serem comprados por R$ 3 e selos encontrados em produtos.

Mascote 2A Sadia conseguiu no TJ-SP a suspensão de multa administrativa, que na época chegava a quase R$ 500 mil, argumentando que a campanha se ateve aos limites da livre concorrência. No STJ (Superior Tribunal de Justiça), o Procon sustenta que a publicidade era dirigida ao público infantil e usava termos imperativos para massificar o consumo de produtos "calóricos e não saudáveis".

Abertura da mostra de Cícero DiasA exposição "Cícero Dias - Um percurso poético" foi aberta na sexta (21) com a presença da filha do artista, Sylvia Dias, da empresária Maria Anna do Valle Pereira e da embaixadora Débora Barenboim-Salej. Os galeristas Michele Uchoas e Antonio Almeida, o artista Guto Lacaz e o editor Pedro Corrêa do Lago também passaram pelo evento, no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo.

Cuito-circuito - O cantor Eduardo Araújo lança o livro "Pelos Caminhos do Rock - Memórias do Bom" na Livraria da Vila da Fradique Coutinho. Nesta terça-feira (25), às 19h.

segunda-feira, 24 de abril de 2017

A mentira do Léo já fez o estrago previsto

A diferença entre ele e os Odebrecht

Conversa Afiada, 24/04/2017

Então fica assim combinado.

Léo Pinheiro é empregado da OAS.

O dono da OAS é o Cesar Mata Pires, o genro do ACM, padrinho da empreiteira "Obras do Amigo Sogro", OAS.

Do Mata Pires não se ouve falar.

Está mais escondido que um filho do Roberto Marinho.

O Léo Pinheiro já tinha feito uma delação em que inocentou o Lula.

Portanto, não prestou.

Teve que fazer outra.

Em que mentiu, segundo o próprio Imparcial de Curitiba.

Mentiu na segunda vez, para ferrar o Lula.

Antes de depor, o PiG cheiroso e o Diogo Mainardi - que se refugia em Veneza, uma cloacacheirosa - divulgam o que viria a ser a futura segunda versão do mentiroso Léo.

Como diz o Lenio Streck, agora, há "vazamentos do bem".

Não importa mais o que o Léo Pinheiro tenha dito.

O vazamento já fez o estrago e o Ataulpho Merval deitou e rolou nas mentiras do Léo Pinheiro, ele, Ataulpho, que tem sido impiedosamente escorraçado pelo Cristiano Zanin.

A reputação do Lula levou outro balaço.

É o que interessa.

Não interessa se o Léo mentiu antes ou depois, ou mentirá amanhã.

Desde que o Lula seja mortalmente ferido.

Léo Pinheiro é empregado do Cesar Mata Pires - não passa de um acionista minoritário.

Quem manda não é ele.

A função do Léo Pinheiro era "cortar o vento", como dizia o Cesar Mata Pires...

É diferente do Emílio e do Marcelo Odebrecht, que não podem mentir (muito), porque precisam salvar a empresa.

O Léo Pinheiro quer se salvar.

Nem que seja com a destruição do Lula.

É ou não é a República Federativa da Cloaca?

9 verdades e 1 mentira do Novo Código de Processo Civil

Se habilita a encontrar a opção falsa?

Aproveitando a onda da brincadeira, vamos incluir um pouco de conteúdo neste jogo.

Dentre as dez opções, nove verdades e uma mentira. Identificas a opção falsa? Deixe a sua resposta!

1. A reconvenção, impugnação ao valor da causa, exceção de incompetência dentre outros incidentes processuais passam a fazer parte da contestação;

2. O prazo em dobro computado para réus com procuradores distintos deixa de existir nos processos eletrônicos;

3. O NCPC estabeleceu que os prazos serão contados sempre em dias úteis;

4. Surge uma possibilidade de produção antecipada de provas quando o prévio conhecimento dos fatos possa justificar ou evitar o ajuizamento de ação;

5. Um prazo concedido de um mês tem duração bem inferior ao prazo de 30 dias;

6. A tutela da evidência será concedida, independentemente da demonstração de perigo de dano ou de risco ao resultado útil do processo;

7. Se uma das partes não manifestar o desinteresse na audiência de conciliação ela irá ocorrer;

8. Somente com o encerramento da audiência, não tendo havido transação, terá início o prazo para contestação;

9. A existência de convenção de arbitragem passa a ser uma preliminar na contestação, levanto à extinção do processo sem resolução do mérito;

10. A Fazenda Pública deixa de ter o prazo em quádruplo para contestar.

E aí? Encontrou?

Fonte: Modeloinicial.jusbrasil.com.br

Moro cometeu abuso, sim!

Projeto de Requião contém o poder sem limites

Conversa Afiada, 24/04/2017

O Conversa Afiada reproduz o artigo de abertura da imperdível "Rosa dos Ventos" de Mauricio Dias, na Carta Capital (em que o Barrocal mostrou como o MT roubou US$ 40 milhões, em conluio com o Eduardo Cunha.)

O poder sem limites

Chega atrasado, mas ainda em boa hora, o projeto de lei relatado pelo senador Roberto Requião, informalmente chamado de “abuso de autoridade” e caracterizado pelo objetivo de combater crimes cometidos por funcionários públicos espalhados pelos diversos organismos do Estado. A Operação Lava Jato, pela conduta dolosa e ilegítima, é um exemplo desse abuso.

Essa ideia não é nova. Ela adormecia há quase dez anos, considerando que foi enviada ao Congresso, no primeiro governo Lula, pelo então ministro da Justiça Tarso Genro. Perdeu-se lá por razões que a própria razão desconhece.

Foi resgatada agora, entretanto, pelo senador Renan Calheiros, por razões conhecidas. 

Pesa sobre ele uma dúzia de acusações geradas pelas investigações da Lava Jato, somadas a outro problema. Renan presidia o Senado, quando a casa foi invadida pela Polícia Federal a mando do passageiro ministro da Justiça Alexandre de Moraes, um advogado hoje refestelado em uma das cadeiras de espaldar alto do Supremo Tribunal Federal. 

Foi típico abuso de autoridade. Mereceria punição exemplar, se a nova lei estivesse em vigor. Há, porém, uma resistência. O juiz Sergio Moro, unido aos procuradores de Curitiba, capitaneados por Deltan Dallagnol, vale-se da popularidade emanada da Lava Jato para torpedear o Projeto de Lei da autoridade abusiva. 

Para Moro e Dallagnol, punir autoridade por crime de abuso decretaria o fim da Lava Jato. Não é verdade. Poderia ser, sim, no entanto, o fim do autoritarismo que eles empregam favorecidos pela omissão do Conselho Nacional de Justiça e pela simpatia majoritária dos 11 juízes que compõem o STF.

O contraponto com a Operação Lava Jato não deve inibir o Congresso sob pressão da mídia. Não haverá danos à investigação nem à punição de corruptos, desde que tudo se mantenha nos termos previstos no Projeto de Lei formulado por Requião e prestes a ser votado no Senado.

O senador relator tem pregado isto: “Não queremos assistir mais à ‘carteirada’, ao abuso de poder. E isso deve valer para todas as instituições: o Parlamento, o Judiciário, o Ministério Público, a polícia... enfim, os agentes públicos de forma geral, desde o fiscal de renda do município ao presidente da República”. Espera-se que nenhum senador, ao longo da tramitação, ponha jabuti na forquilha. 

Há excessos nas ações policiais. E eles estão em posição mais próxima às populações pobres. Existe o clássico “pontapé na bunda” aplicado no suspeito forçado a entrar no camburão. A luta contra as arbitrariedades do poder no Brasil ainda não acabou. Há muita coisa escondida nas entrelinhas das leis em vigor.