Pesquisar este blog

sábado, 30 de dezembro de 2017

As grandes frases de 2017

Apoiado em seu cajado, 2017 ruma trôpego e combalido para sua última morada. É hora de garimpar as tiradas que podem sobreviver ao ano em estado terminal. Como todas as listas, esta merecerá todas as críticas do mundo por incluir o que não deveria ou por esquecer o que não poderia. São frases que podem revelar ironia, inteligência, cinismo, indignação, desprezo mas também desfaçatez, que tem sido o pano de fundo do nosso drama nesses tempos estúpidos. Vamos a elas:

"A minha expulsão não é uma punição. É biografia".  Senadora Kátia Abreu ao ser expulsa do PMDB por ser oposição ao golpe e a Michel Temer)

"Romero Jucá, esse canalha, esse crápula do Brasil, esse ladrão de vidas e almas alheias".  Idem, em seu primeiro discurso na tribuna do Senado após ser expulsa)

"Tem que manter isso, viu?"  (Temer sendo gravado por Joesley Batista e concordando com o "tratamento especial" dado pelo empresário ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, preso em Curitiba)

"O Rodrigo. Pode passar por meio dele, viu? Da minha mais estrita confiança".  (Temer dizendo a Joesley que, na ausência de Geddel Vieira Lima, o contato seria através de outro deputado, Rodrigo Rocha Loures, do PMDB, do Paraná, seguido, filmado e preso dias depois com mala contendo R$ 500 mil entregues pela JBS de Joesley)

"Eu quero dizer que eu vi a fita, eu vi a mala de dinheiro, eu vi a corridinha na televisão".  (Ministro Luis Roberto Barroso, do STF, discutindo com seu colega Gilmar Mendes e enfatizando que ouviu a fita que incrimina Temer, a mala de dinheiro e a "corridinha" de Rocha Loures antes de ser preso)

"Uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime, quem seriam os partícipes e se haveria ou não corrupção".  (Diretor da PF, Fernando Segóvia, em sua primeira entrevista, referindo-se à mala dos 500 mil reais entregue a Rocha Loures, representante de Temer junto à empresa)

"Só pode ser brincadeira".  (Ex-procurador-geral da república, Rodrigo Janot, ironizando a declaração de Segóvia)

"Nós vamos (gravá-lo) só porque ele é bandidão mesmo".  (Joesley Batista explicando ao executivo da JBS, Ricardo Saud, por que iria gravar o então presidente do PSDB, Aécio Neves)

"Adoraria disputar com alguém com o logotipo da Globo na testa".  (Lula, comentando a então possível candidatura do apresentador Luciano Huck à presidência)

"Bolsonaro é filho legítimo do casamento entre a Lava Jato e a Rede Globo".  (Sociólogo Jessé de Souza, autor de A Elite do Atraso, em entrevista)

"Se pegar dez Bolsonaros e espremer não cabe num pires"
(Ministro Aloysio Ferreira Nunes prevendo que Jair Bolsonaro não tem a menor chance contra Lula em um eventual segundo turno)

"A elite da comunicação, a elite empresarial e a elite política é que farão as reformas tão necessárias. Delegar isso ao "seu João" e à "dona Maria" é irresponsabilidade".  (Prefeito Nelson Marchezan Junior (PSDB), de Porto Alegre, mandando a plebe procurar o seu lugar)

"Ele é um bunda mole"  Vereador Cláudio Janta (Solidariedade), de Porto Alegre, ex-líder do governo na câmara municipal, respondendo ao prefeito Marchezan Junior, que chamou os vereadores de "cagões")

"O Temer é aquele marido desempregado que, em vez de procurar emprego, sai vendendo as coisas da casa".  (Lula, sobre a privataria temerária)

"Sabe o que é isso? É coisa de preto...".  (Apresentador William Waack, então na TV Globo, em vídeo vazado que foi parar no Youtube. Waack irritara-se com o barulho de buzinas nas ruas de Washington/DC antes de começar uma entrevista)

"Eu quero ouvir o William Bonner pedindo desculpas na Globo. [Imita o apresentador do Jornal Nacional]: "Boa noite. Queríamos pedir desculpas para o Luiz Inácio Lula da Silva porque tudo o que se falou dele foi mentira". (Lula, em coletiva em dezembro de 2017)

"Meu filho não é ladrão, ele é doente".  Marluce Lima, mãe de Geddel Vieira Lima, logo após a descoberta de que o filho guardava R$ 51 milhões em malas em um apartamento de Salvador)

"Se denunciaram Aloysio por 500 mil eu tô fodido".  (Lucio Vieira Lima, deputado do PMDB e irmão de Geddel, refletindo sobre o futuro e citando a denúncia contra o chanceler Aloysio Ferreira Nunes)

"Minha morte foi decretada no dia do meu afastamento da universidade" (Reitor Luis Carlos Canciller de Olivo, da UFSC, em bilhete deixado no bolso de sua calça, encontrado no dia em que suicidou por não suportar a humilhação a que foi submetido ao ser preso com estardalhaço pela PF e submetido, inclusive, a revista íntima)

"Quando a humanidade errou e não parou Hitler no momento certo? Quando a humanidade errou e não parou Mussolini no tempo certo? E fiquei pensando: eles estão de volta"(Desembargador Lédio de Andrade discursando no velório de Canciller)

"É inadmissível que o país continue tolerando práticas de um Estado policial, em que os direitos mais fundamentais dos cidadãos são postos de lado em nome de um moralismo espetacular" (Trecho de nota da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior sobre a ação da PF e a morte de Cancillier)

"O pobre tem fome, não tem hábito alimentar"  Prefeito de São Paulo, João Dória, quanto ainda tentava distribuir a farinata, produzida a partir de alimentos próximos da data de vencimento, aos pobres.

"Eu só não te dou um soco agora, porque você é um merda"  (Deputado Sergio Zveiter, então no PMDB-RJ, após ler seu relatório contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, e ser provocado pelo colega Darcísio Perondi, do PMDB/RS)

"Ninguém fez tanto pelo país como eu nos últimos 20 anos"  (Temer em discurso demonstrando preocupante afastamento do mundo real)

O que eles disseram

Sai 2017, chega 2018, a resistência continua  Pode se dizer também, que, em 2017, o estado policialesco implementado pelos artífices da operação Lava Jato perdeu força popular e caminha para a "desMOROlização", muito mais em função dos excessos cometidos pelos papa-luzes da república de Curitiba, do que qualquer ação pensada ou desenvolvida pela quadrilha que se instalou no Planalto.

Por um novo pacto nacional  or experiência na luta aposto que dificilmente o modelo que favorece o setor rentista em detrimento do setor produtivo prevalecerá por muito tempo. Ele já foi tentado antes, mas não prosperou devido à forte resistência de industriais e trabalhadores que, por razões diferentes, saem penalizados.

2018: o ano decisivo para o Brasil e América Latina  O que esperar de 2018 após um ano repleto de reviravoltas no cenário político de toda América Latina? Aliás, só no Brasil, foi morte mal explicada de Teori Zavascki, relator da Lava Jato, ainda em janeiro; entrada de Alexandre de Moraes, aliado de Temer, para a então vaga no STF logo em fevereiro.

Ao proibir o MST e o povo de acampar, juiz foi covarde  Sempre, em toda a história e em todos os povos, quando os ares de pressão popular ameaçaram ventar forte soprando as brasas da democracia através do levante popular, os opressores e canalhas tentaram usar de mecanismos para impedir as massas de se aproximar e de quebrar os elos das correntes da mentira e da injustiça.

Waack demitido e a Globo em pé de guerra  Apesar das aparências de civilidade, há boatos de que a demissão foi traumática e de que o clima no império global não é dos melhores. (...) O clima de tensão não se restringe à redação da GloboNews. Ele afeta todo o império global. Na semana retrasada, o Grupo Globo anunciou uma mudança inusitada. Pela primeira vez na história, a presidência da megacorporação não será ocupada por um dos herdeiros da familia Marinho.

Moro e a justiça de Cádi pela manipulação da mídia  O que é mais extravagante, no caso do juiz Moro, é que ele assume publicamente como estratégia de combate à corrupção a mobilização da mídia contra os suspeitos. Nesse caso, o cidadão, culpado ou inocente, fica sem defesa frente ao juiz, aos procuradores, à mídia e a própria opinião pública, contando exclusivamente com o advogado - o qual, no caso de Lula, teve também sua privacidade violada. Esse sistema tem as mesmas características de uma ditadura. Obviamente, diante do barulho que faz a imprensa, terá sempre apoio da opinião pública, na medida da escalada de manipulação da imprensa.

Para grandes desafios, grandes gestos de amplitude e unidade  Em face dos grandes desafios, como os de agora, as forças consequentes da esquerda não podem nem devem perder-se em batalhas intestinas, no exercício de falsos hegemonismos, ou na fragmentação. É vã ilusão supor que a eleição de bancadas parlamentares isoladas e inorgânicas, dispersas, agindo em nome de interesses pessoais, regionais e de grupos, garantirá ao conjunto da esquerda força e capacidade de intervenção política no futuro imediato a 2018.

Furgões da Folha voltam a cruzar as ruas do Brasil  A Folha mergulhou tão fundo no golpe de Estado de 2016, um golpe que ela não quer chamar de golpe, assim como tentou chamar a ditadura de “ditabranda”, que agora não sabe como sair dele. Nem consegue enxergar mais nada à sua volta.

O MBL, os Globalistas e a Terra plana  Apontar as Organizações Globo como um símbolo de esquerda é um sintoma do delírio conservador do MBL. A bem da verdade, o grupo dos irmãos Marinho é a perfeita antítese do comunismo e da esquerda: uma megacorporação capitalista.

Os carrascos de Lula em Porto Alegre Já não estamos na idade média, mas a forma de aplicação de pena a condenados, e, diga-se de passagem, sem apresentação de qualquer prova que o incrimine, os carrascos da atualidade já não vestem capuzes para esconder a sua identidade. Agora usam capas pretas e são juízes, promotores e procurados que fazem a tarefa de carrascos.

Lula x Poder Judiciário – um janeiro/2018 nada óbvio  Lula pode ser absolvido, numa reviravolta daquelas que entram para história como o gol marcado aos 48 do segundo tempo. Fala-se, no Direito, que sentença judicial e pata de cavalo, qual ganha e qual perde no Jockey, ninguém sabe o que saíra. Por isto mesmo, profissionais do Direito sabem que qualquer prognóstico antes do dia 24 é pura futurologia. Já as ‘obviedades’ analíticas com olhar blasé do tipo Merval Pereira são, igualmente, futurologia.

Janeiro de 2018: o Brasil tem um encontro marcado com a história  Cercado e em desespero o golpe resolveu subir as apostas, marcou para o dia 24 de janeiro de 2018 um confronto em que pretende subjugar a democracia, a verdade e a maioria da população. Enganam-se profundamente, os brasileiros já sabem que tem um compromisso marcado com a história. As informações que vem de todo o país dão conta de que legiões acorrerão a Porto Alegre no dia 24.

2018: derrotar os governos dos ricos e reacender a esperança  O ano de 2017 entra para a história como o que registrou o mais terrível ataque já feito até contra os direitos da classe trabalhadora no Brasil. Isto só foi possível com o governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB), o mesmo que se livrou duas vezes na Câmara de ser investigado por denúncias de corrupção. Em 2018, devemos intensificar a resistência para travar as agendas retrógradas.

Brasil: do fingimento institucional à inutilidade estatal E se começamos com perguntas, por que não encerrar com inquirições? Será que um justo homem (ou mulher) junto a esses espaços de fingimento institucional não se envergonha de pertencer ao Grande Teatro, ao circo dos horrores de uma república patética?

A contribuição das PMEs da União Europeia na economia de baixo carbono no Brasil  A União Europeia concluiu em 2017 uma inédita série de 9 missões de negócios entre Pequenas e Médias Empresas do Brasil e de seus 28 Estados-membros, orientadas a promover o intercâmbio comercial e a geração de parcerias em setores de baixo carbono da economia. No total, mais de 400 empresas foram beneficiadas pelo projeto Low Carbon Business Action in Brazil e 640 Acordos de Cooperação e Parceria foram firmados.

Brasil: uma aurora ansiada  O ano que se finda não foi legal! Principalmente para aqueles que ainda sonham: com um trabalho digno e respeitado; com a casa própria; com o respeito das instituições que lhes assistem (Justiça, Políticos, Segurança Pública, Educação, Saúde, Assistência Social, etc); com a sua livre circulação diferente... A ansiada "nova aurora" 2018 não passará de mais um "crepúsculo" inaugurado no ano de 1500, uma alegoria do inferno. 

Lula atrai (P)MDB via Requião  A informação de que os diretórios regionais do PMDB do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul se preparam para apoiar Lula, no dia 24, em Porto Alegre, no julgamento, controvertido, contestado, internacionalmente, do triplex do Guarujá, armação de Moro, para inviabilizar candidatura dele à presidência da República, em 2018, mostra que o ex-presidente implode o PMDB/MDB.

A reação dos Governadores do NE contra imposição de Marun e carão em Temer provam que o Brasil resiste  Como de sorte tem se registrado nos últimos anos no Brasil, vem do Nordeste a reação institucional de todos os governadores se insurgindo de forma contundente contra as ações politicas de intimidação do Secretário Geral da Presidência da República, Carlos Marun, condicionando operações constitucionais de crédito com Bancos Federais à aprovação da Reforma Previdenciária. 

As grandes frases de 2017  Apoiado em seu cajado, 2017 ruma trôpego e combalido para sua última morada. É hora de garimpar as tiradas que podem sobreviver ao ano em estado terminal. 

Canetada partidária dos juízes do TRF-4 causará revolta no Brasil  O roteiro da Justiça mais injusta do mundo ocidental, além de ser a mais seletiva, politizada e doutrinada, vergonhosamente, pelo sistema midiático privado, à frente o Grupo Globo, está pronto e, pelo andar da carruagem, à espera da canetada do trio de juízes políticos do TRF-4, que julgarão o Lula no dia 24 de janeiro.

Meirelles faz dos Estados uma boiada rumo ao matadouro  São muitos os culpados por essa situação [dos Estados], inclusive a depressão econômica.No plano imediato, porém, há dois deles, verdadeiros açougueiros dos cidadãos brasileiros: Michel Temer, porque é basicamente um ignorante que não consegue avaliar a extensão dessa crise, e Henrique Meirelles, que faz questão de fomentar a crise a fim de facilitar os objetivos neoliberais de destruição do Estado, de privatização e de facilitação de transformação dos espaços públicos em espaços abertos à rapina do setor privado, como a água da Cedae.

O dia em que o governo americano drogou seu povo  O documentário “Freeway Crack in The System”, de Marc Levin, disponível na Netflix, ajuda nesta reflexão sobre a questão das drogas. O filme aborda a geopolítica das drogas através dos relatos de Freeway Rick Ross, lendário traficante das décadas de 80 e 90, que, antes de cumprir 20 anos de prisão em regime fechado, dominou o controle da distribuição de cocaína e crack em quase todos os EUA, a partir das comunidades afro-americanas dos arredores de Los Angeles.

Farra de isenções tira R$ 9 bi da União, estados e municípios

Os beneficiados são os próprios políticos e empresas que financiaram suas campanhas?

Um erro na articulação política do governo fará União, Estados e municípios perderem R$ 9,3 bilhões em tributos em 2018.

Em novembro, deputados e senadores derrubaram um veto presidencial na lei que validou incentivos fiscais estaduais concedidos por meio do ICMS às empresas.

Na prática, o Congresso concedeu às empresas abatimento na cobrança de tributos federais sobre esses incentivos - um impacto na arrecadação que não estava previsto no orçamento.

DCM: está na hora do PSOL deixar a adolescência


Jornalista Joaquim de Carvalho, do Diário do Centro do Mundo (DCM), criticou o deputado Marcelo Freixo (PSOL), que afirmou em entrevista a desagregação das esquerdas nas eleições de 2018.

"A entrevista de Marcelo Freixo à repórter Anna Virginia Ballousier, da Folha de S. Paulo, é o retrato perfeito de que o PSOL ainda não alcançou a maturidade, continua o partido com um discurso ajustado aos interesses da elite predadora do Brasil", diz ele.

"Está na hora do PSOL deixar a adolescência".

Menos desocupados, mais desempregados. É o avanço do atraso

Os dados são do IBGE
"Os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística são sua expressão: no trimestre encerrado em novembro, 194 mil pessoas a menos têm a carteira de trabalho assinada, mas 411 mil deixaram de ser consideradas desocupadas. Têm, portanto, algum tipo de renda informal, no setor privado da economia", diz o jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, ao analisar os dados da Pnad Contínua.

"O tal 'trabalho intermitente' criado pela reforma trabalhista é isso, a tentativa de formalização do “bico” como emprego: 200 reais ou 300 são melhores do que nada. São mesmo, não é ironia e quem já esteve no desespero sabe o quando isso alivia, por alguns dias, o sofrimento de ver a família em desespero", diz ele

"Truque de elite"... Ou seria "Feliz Ano Velho"?


O colunista Ricardo Cappelli critica o tom da entrevista do deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ) à Folha nesta sexta, onde o parlamentar afirmou que não é hora de unir as esquerdas.

"Eu bato um papo com minha companheira blogueira da Folha, tomo um espumante na casa de Paula Lavigne com Caetano e...Eureca!!!! Uma visão extraordinária brota apontando que o melhor para esquerda brasileira é sua divisão. Saio dali e corro para ungir um novo 'líder de massas'", escreve Cappelli, ironizando a fala de Freixo.

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

O reajuste do Salário mínimo de Temer será o menor dos últimos anos

De R$ 937 sobe para 954. Aumento de apenas R$ 17 reais

O decreto confirmando o valor será confirmado em edição extra do Diário Oficial da União ainda nesta sexta-feira (29); o salário mínimo será de R$ 954, R$ 11 menor do que o previsto inicialmente no orçamento de 2018, aprovado no Congresso no valor de R$ 965.

O salário-mínimo atual é de R$ 937 e o reajuste de 1,81% segue a previsão do Índice de Preços ao Consumidor (INPC)

Jarbas: sair algemado do Congresso é pouco para Jucá


As duras críticas do deputado Jarbas Vasconcelos, um dos fundadores do MDB, ao presidente da sigla, o senador Romero Jucá, foram destacadas pela colunista Tereza Crunivel.

Jarbas afirmou em artigo que “sair algemado do Congresso Nacional é pouco para quem tanto mal fez e faz ao pais", e que pretende "estar nas trincheiras" combatendo Jucá.

"Ele [Jarbas] se arrisca a ter o mesmo destino da senadora Katia Abreu, que foi expulsa do PMDB de Jucá por ter votado contra o golpe do impeachment, por ter defendido a presidente eleita Dilma Rousseff e por ter criticado duramente e votado contra a reforma trabalhista e outras políticas de Temer". 

"Já os muitos peemedebistas investigados por corrupção e outros crime, inclusive os que estão presos, como Henrique Alves e Geddel Vieira Lima, não tiveram seus casos sequer examinados pela tal comissão de ética do partido que expulsou Kátia", escreve a colunista.

Ministro do Supremo diz que poucos presos no Brasil têm tantas provas como há no caso Aécio

E por que o Supremo não age com rigor?
Num dos trechos de sua entrevista à BBC, o ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, lamentou a impunidade do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e apontou o excesso de provas contra o político mineiro: a gravação, o pedido de dinheiro, a entrega com a mala e até a ameaça de matar o primo.

O ministro Barroso disse também que, dos 650 mil detentos brasileiros, poucos estão presos com tantas provas como havia no caso Aécio.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Torquato: Temer vai tentar reeditar regras de indulto suspensas pelo STF


O Ministério da Justiça vai estudar, por orientação de Michel Temer, um mecanismo para recolocar a possibilidade de indulto para as pessoas que foram excluídas do decreto pela decisão liminar tomada pela presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, disse à Reuters o ministro Torquato Jardim.

"É uma decisão liminar, mas sabemos que uma ação como essa pode levar três a quatro anos para ser julgada", diz Torquato. Ouseja, o intuito é beneficiar os seus de qualquer jeito. 

Assessor de Temer que elaborou indulto era advogado de Cunha


Ex-advogado de Eduardo Cunha, Gustavo Rocha foi linha de frente na elaboração do decreto de indulto natalino assinado por Michel Temer e derrubado pelo Supremo Tribunal Federal nesta quinta-feira.

Há em curso nos bastidores uma articulação para que Gustavo Rocha assuma o Ministério da Justiça na próxima reforma ministerial, prevista para março próximo.

Cármem Lúcia enquadra Temer e informa que ele não pode tudo


"Temer vai ter que enfiar a viola no caso no caso do indulto natalino. Seu ministro da Justiça, Torquato Jardim, chegou a dizer que o decreto, não podia ter sua legalidade contestada. "Não depende de vontade judicial nem de alvitre do Ministério Público", escreveu ele em artigo em O Globo", lembra Tereza Cruvinel em seu blog.

"A presidente do STF, ministra Cármem Lúcia, entretanto, resolveu enquadrar Temer e conceder a liminar pedida pela Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, suspendendo os efeitos do decreto", completa Tereza.

Requião: Querem prender o Lula, mas não quem entrega o Pré-Sal


Em entrevista exclusiva à TV 247, o senador Roberto Requião (PMDB-PR) chamou a atenção para a disposição do juiz Sérgio Moro e de parte do Judiciário em prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, apesar da falta de provas, e comparou com a falta de ação dessas mesmas autoridades quando o assunto é a entrega do patrimônio Brasileiro: “Ninguém põe na cadeia quem tá entregando o petróleo, quem tá eliminando os impostos e a preocupação com a natureza e com o conteúdo nacional. É um desequilíbrio esse processo", afirmou.

Juiz proibe acampamento do MST em defesa de Lula


A mobilização em defesa do ex-presidente Lula programada para o julgamento do dia 24 de janeiro sofreu um revés nesta quinta-feira 28.

A decisão assinada pelo juiz Osório Avila Neto proíbe acampamento do MST em Porto Alegre nas proximidades do TRF-4, onde três desembargadores julgarão Lula em segunda instância.

Um manifesto com mais de 80 mil assinaturas aponta abusos do Judiciário com a finalidade de excluir Lula – líder em todas as pesquisas – da disputa presidencial de 2018.

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Governadores repudiam chantagem e prometem ação contra Marun


Os governadores do Nordeste divulgaram uma carta pública, nesta quarta-feira, em que condenam a chantagem de Carlos Marun, indicado por Eduardo Cunha, da prisão, para ser o articulador político do Michel Temer.

Marun afirmou que só terão empréstimos da Caixa os governadores que conseguirem votos pela reforma da Previdência.

"Se eu fosse presidente, demitiria esse ministro hoje mesmo", disse Camilo Santana, governador do Ceará.

Jader Barbalho foi o senador que mais faltou em 2017

O que ele estava fazendo?

Congresso em foco, 27/12/2017 07:30

Moreira Mariz / Agência Senado

Das 32 ausências de sessões deliberativas ordinárias, peemedebista justificou 28 como atividade parlamentar

Um dos denunciados no “quadrilhão do PMDB”, partido que voltou a se chamar MDB no começo de dezembro, Jader Barbalho (PA) foi o senador que mais faltou em 2017, com 32 ausências, equivalente a 49% das 65 sessões deliberativas analisadas no mais recente levantamento do Congresso em Foco sobre assiduidade parlamentar. Feito há quase 15 anos por este site, o trabalho atualiza periodicamente os registros de presença, na Câmara e no Senado, às sessões de votação em plenário. Apesar do alto número de faltas, o senador não havia apresentado justificativa para apenas três até o fim de novembro. O levantamento levou em consideração todas as sessões deliberativas ordinárias realizadas entre fevereiro e novembro de 2017.



Das 32 ausências de Jader, 28 foram justificadas com “atividade parlamentar” e apenas uma falta teve justificativa médica. Na prática, a atividade parlamentar pode ser qualquer coisa que o congressista fizer em Brasília, no seu estado ou no exterior. No ano passado, Jader também foi um dos mais faltosos. Em 2016, enfrentando problemas de saúde, ele somou 62 faltas, 18 delas sem justificativa.

No início de setembro, Jader foi um dos cinco senadores denunciados pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na investigação sobre o “quadrilhão do PMDB”. O delator e ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado apontou Jader, Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Edison Lobão (MA) e o ex-senador José Sarney (MA) como os políticos responsáveis pela sua nomeação na Transpetro e que receberam vantagem indevida repassada pelo próprio Machado, tanto por meio de doações oficiais quanto por meio de dinheiro em espécie. Outros depoimentos corroboram as relações de Sérgio Machado com políticos de cúpula do PMDB.

Além dessa denúncia, o ex-presidente do Senado é alvo da Operação Lava Jato desde 2015. Nestor Cerveró, delator e ex-diretor da Petrobras, afirmou ter pago propina de US$ 6 milhões a Jader e a Renan Calheiros em 2006. Jader responde a pelo menos cinco inquéritos e uma ação penal no Supremo Tribunal Federal.

O também peemedebista Zezé Perrella (MG) é o segundo senador mais faltoso. Perrella falou a 29 sessões das 65 sessões (45%), todas elas sob a justificativa do exercício da atividade parlamentar. Ano passado, quando ainda estava no PTB, o senador faltou a 25 sessões (23%) das 91 realizadas, atribuindo 23 delas a compromissos inerentes ao mandato.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Rejeição de 70% às privatizações é um alento para o País


"A revelação de que sete em dez brasileiros condenam as privatizações representa um apoio popular indiscutível a ideia de um plebiscito revogatório para mandar para o lixo as medidas anti-povo e anti-nação do governo Temer-Meirelles", escreve Paulo Moreira Leite, articulista do 247". 

"Lembrando que a venda de estatais é rejeitada mesmo pelos eleitores dos partidos que estão na base do Planalto, PML diz que há uma "unanimidade contra", que ajuda a explicar "a comunhão entre privatização e golpismo após a chegada de Lula-Dilma ao governo".

Arcebispo critica fala de Temer no Natal: 'Não vive a realidade'


O arcebispo de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, foi duro nas críticas às declarações de Temer na noite de Natal em cadeia nacional na TV.

"Quem diz que a vida está mais barata não vive a realidade do nosso povo. A impressão que dá é de que vive em uma outra realidade", afirmou o religioso.

"Olhando nossa situação de Porto Alegre, o número de moradores de ruas, o número de placas de 'vende-se' e 'aluga-se', o comércio fechado, a vida parada, jovens sem perspectiva de um emprego digno. Certamente esse tempo de Natal precisa reacender em todos a esperança", acrescentou.

Lava Jato: empresário é Chapeuzinho Vermelho e o Estado, lobo mau!

Dino: como é que o Moro diz que o apartamento é do Lula se é patrimônio de um banco?

Conversa Afiada, 26/12/2017
Conversa Afiada reproduz da Fel-lha trechos de magnífica entrevista do Governador do Maranhão, Flávio Dino, candidato (imbatível) a Presidente em 2022:
(...) A Lava Jato criou distorções?
A Lava Jato criou uma narrativa em que os empresários, que eram o chapeuzinho vermelho, bonzinhos, foram extorquidos pelo lobo mau, que era o Estado. Pelo amor de Deus! Todo mundo sabia o que estava fazendo.
A Lava Jato acertou mais que errou, mas errou nesse ponto fundamental, por incompreensão ou conivência. Não critico tanto as decisões.
A de Sergio Moro contra o Lula o senhor critica.
É um escândalo, uma monstruosidade jurídica. O leitor pode dizer: é porque ele apoia o Lula. Primeiro, o Lula nunca me apoiou aqui.
Vai apoiar em 2018?
Eu espero. Sou cristão, acredito em coisas boas. Como você vai dizer que ele é dono de um apartamento que comprovadamente está no patrimônio de um banco? Aí sim a instrumentalização da Lava Jato atende a certos interesses que hoje não estão claros.
Seu irmão Nicolao Dino é próximo do ex-procurador-geral Rodrigo Janot. Como vê a atuação do grupo?
Janot errou. Podia ter evitado o caos político e jurídico em que o Brasil se meteu e ele aderiu. Por quê? Não sei dizer.
O presidente Temer não indicou seu irmão, mas Raquel Dodge para suceder Janot.
Tenho a impressão de que Raquel não vai na direção de ser arquivadora-geral. A indicação de Fernando Segovia na Polícia Federal, apoiado por Sarney, vinculado politicamente a uma certa posição [é mais problemática]. É difícil qualquer pessoa dizer que vai parar a Lava Jato.
Ainda tem vida longa?
Tem, porque tem os filhinhos dela, netinhos. a família é grande. Vai continuar até que a política se rearrume. Ela virou o principal polo de poder do país, porque não tem outro. Depois das eleições, a força da Lava Jato tende a diminuir, porque é uma anomalia ter um conjunto de profissionais não eleitos com esse poder de ditar o ritmo do país.
O que mostra a volta de Roseana na disputa ao governo?
Mostra muito um saudosismo do uso da máquina administrativa. Estão com síndrome de abstinência de recursos públicos, de luxos. O grupo empresarial deles depende de recursos públicos, que é um sistema de comunicação [Mirante] cujo maior anunciante era o próprio governo do Estado. Ela pagava ela mesma.
O senhor anuncia na Mirante?
Sim, mas bem menos [de 54% da verba publicitária em 2012, caiu para 19% em 2017].
O senhor quer o apoio do Lula no Maranhão, mas seu partido tem outra candidatura.
Há a compreensão de que, no Maranhão, pelo sarneysismo, precisamos fazer uma aliança ampla. Palanque aberto. Ainda tem o Ciro Gomes, o PDT é um aliado nosso.
Quem é o melhor?
Os três têm suas virtudes. Não posso dizer em quem eu vou votar porque dá ciúme.
Não vai votar no seu partido?
Se Manuela estiver na urna, voto nela, claro.
Lula irá até o fim?
Lula deve manter a candidatura até o limite. A candidatura dele é fundamental, imprescindível. Só há eleições livres com ele sendo candidato, não há razão para não ser, a não ser um processo de lawfare, de perseguição judicial. Pergunte a um cidadão médio: o que você acha de Sarney ou Collor soltos e Lula preso? Isso pode tisnar, criar uma nódoa na eleição, é muito grave. Metade da população tem intenção de votar nele.
Metade?
Claro. Se for candidato, ganha. Se a elite brasileira tivesse um pouquinho de espírito nacional, e menos espírito de Miami, concordaria que Lula é importante para o Brasil. [Tirá-lo] abre espaço para uma aventura que seria Bolsonaro presidente, um suicídio nacional e coletivo.

O que eles disseram

O natal e o brasileiro: um momento de reflexão política A gente anda pelas ruas e só o que a gente vê é o povo simples trabalhador que vive com dinheiro contado. Esse mundo de Daslu natalino e cheio de luzinhas só existe nas propagandas da TV aberta, na prisão domiciliar de delatores da Lava Jato e na cabeça do jornalismo obediente - cuja missão premente é resistir o máximo possível à realidade.

A morte de Jesus no sertão Aquele Jesus morreu no sertão mineiro, ao nascer. Outros continuam a morrer, perdendo a trilha de seu destino, nas vésperas de todos os natais, na Palestina, na Síria, no Paquistão, nos arredores de São Paulo – e em nossos ressequidos sertões brasileiros.

Quem está longe dos pobres, está longe de Cristo O Natal é uma festa da contradição: ela nos recorda o mundo que ainda não foi humanizado porque somos cruéis e sem piedade para com aqueles penalizados pela vida. O Natal nos recorda a mesma situação vivida pelo Verbo da vida, o Filho feito carne.

O dia em que o doutor Sócrates ficou mais feliz do que na hora de um gol O campo do MST foi inaugurado numa véspera de Natal há 31 dias de distância do julgamento de Lula. Foi um encontro de resistência, mas também de afeto. Foi um sábado memorável, diria o cronista de futebol.

O encontro dos craques Lula e Chico Craques do futebol, da política, das artes e do jornalismo estiveram presentes no sábado, 23 de dezembro, na grande festa em homenagem ao cracaço também conhecido como Magrão. Lula e Chico Buarque puxaram o cordão, com um time com craques de sempre como Paulo Cézar Cajú, Afonsinho, Reinaldo, Espencer, etc.

Inauguração do campo Sócrates foi celebração da virada democrática MST inaugurou, neste sábado, um campo de futebol chamado Sócrates.Mais que uma simples festa, a inauguração foi também a celebração de uma nova etapa da resistência, marcada pelo crescimento muito forte da pré-candidatura de Lula, e do questionamento, cada vez mais consciente, aos arbítrios da Lava Jato, de um lado, e do governo Temer, de outro.

Indulto Coletivo de Natal é legal para ambas as partes As críticas que se fazem ao Indulto não são justas. Sendo um ato de clemência, mesmo que te por um prazo estabelecido, o condenado terá que retornar a prisão. E hoje já sabemos, são escolas do crime onde se amontoam pessoas e poucos são ressocializados.

Petrobras 2017: o ano em que a verdade é aceita como evidente por si própria A partir de agora é evidente que a Petrobras não está (e nunca esteve) quebrada, que não precisa vender seus ativos para reduzir a dívida, que a privatização prejudica o fluxo de caixa e compromete o futuro que já se torna presente.

Os males vêm correndo e depois que chegam duram muito mais O grande e recente mal de nosso país foi a tomada do poder pela banca – designação que dou ao sistema financeiro internacional – unindo os golpistas do judiciário, do parlamento, das mídias hegemônicas e agentes estrangeiros, em 2016.

Capítulo 8 A reforma da Previdência que o Planalto quer impor à sociedade brasileira está construída sobre mentiras. É mentira que essa reforma acaba com privilégios de servidores públicos. É mentira que a Previdência tenha déficit. É mentira que os aposentados e pensionistas correm o risco de não receber seus proventos nos anos vindouros.

Maduro põe embaixador do golpe de Michel Temer para correr da Venezuela A situação é tensa entre Brasil e Venezuela desde que a presidenta eleita Dilma Rousseff foi deposta pelo golpe de Estado. O governo Maduro não reconhece o cleptogoverno brasileiro como legítimo. Por sua vez, o temerismo se alinha aos norte-americanos nas críticas aos chavistas a quem os acusa de "autoritários".

O amigo secreto dos golpistas Baseado nesse costume, que muitos dizem ter surgido na Grécia antiga, fiquei a imaginar como seria a festa de "amigo secreto" dos golpistas que estão destruindo o país com suas reformas, que podem ser consideradas um verdadeiro presente de grego para o povo brasileiro.

Argentina: lei da previdência imposta com balas e manobras A nova Lei da Previdência aprovada na 3a. feira, foi imposta com tiros e pedras na rua e manobras violentas no Parlamento, não obstante a pressão de centenas de milhares de manifestantes pacíficos entre organizações sociais e sindicais e cidadãos isolados, completamente invisibilizados pela mídia.

Plano de negócios e gestão 2018 e 2022 da Petrobras é o ápice da esbórnia Ativos valiosos são vendidos, à toque de caixa, sem licitação e a preço de banana, sob a alegação que a empresa tem problemas financeiros, enquanto o caixa está abarrotado? Querem enganar a quem? Ninguém vê isto? Por que os jornais não comentam?

Embraer-Boeing: crime de lesa-pátria! Não é uma fusão que está em curso, mas sim a venda de uma empresa nacional de tecnologia de ponta – que tem uma receita de 1,3 bilhão de dólares e na qual o governo brasileiro tem poder de veto – para uma poderosa multinacional dos EUA, cuja receita é US$ 24,3 bilhões.

Pesquisas mostram Bolsonaro estagnado e ganhando rejeição Quem tem medo de Bolsonaro? O Blog da Cidadania sempre o considerou o adversário dos sonhos. Claro que tem um séquito de idiotas como ele, mas não há tanto idiota assim no Brasil.

Globo e Temer se acertaram para ferrar trabalhadores Globo e Michel Temer acertaram, por exemplo, a estratégia de votação da reforma da previdência, qual seja, o fim das aposentadorias.

Merval Pereira, calado, é um poeta - Juízes e golpe - Lula será candidato com o povo nas ruas Além de pedir e querer a prisão do Lula, Merval realmente se supera como sabujo dos irmãos Marinho, a agradá-los ao demonstrar ter a compreensão de que a "reforma" (roubo), ou seja, a transferência da previdência pública, que nunca foi deficitária, para a iniciativa privada, especificamente para os bancos particulares.

Temer, o enquadrador-geral da República Recordista histórico nacional e conjuntural mundial em impopularidade, contrariou o wishful thinking permanente à esquerda, conspirações midiáticas à direita e se manteve no Palácio do Planalto derrotando não uma, mas duas denúncias da Procuradoria-Geral da República.

Bastardos inglórios - a infâmia entre nós Que país estamos vivendo, depois que os “poderes da república” se uniram para dar um golpe na vontade popular expressa nas urnas e não em pesquisas, como prevê a constituição? As letras minúsculas indicam o abastardamento da “magna carta” e dos poderes nelas constituídos.

Arrecadação de impostos no Brasil sempre foi implacável com o mais pobre País precisa construir uma nova matriz tributária que alie exigências da economia sustentável aos novos requisitos da sociedade de serviços e cujo objetivo seja orientado pela busca da equidade.

Não basta eleger Lula! É preciso derrubar os golpistas Comecemos a dar o nosso grito, por Porto Alegre, no dia 24 de janeiro. As ruas precisam estar tomadas. Nossas bandeiras devem ser verdes, amarelas e vermelhas também. Sim. Roxas, azuis, rosas, lilás....Todas as cores juntas em favor da democracia e na luta pelo resgaste dos nossos direitos e da nossa dignidade.

Prender Maluf é fácil; queremos ver prender o Aécio Por que o STF não decidiu pedir licença à Câmara dos Deputados para prender Maluf, como fez com Aécio? Afinal, há muito mais provas contra o tucano do que contra o pepista, ex-esbirro da ditadura militar

Estadão chora: aprovação de Lula dispara! A pesquisa ajuda a entender porque o Estadão e outros veículos da mídia golpista torcem tanto pela condenação de Lula no julgamento marcado pelo "veloz" Tribunal Regional Federal da 4ª Região para 24 de janeiro próximo. A direita nativa detesta o voto popular.

Nasce o "Sebastianismo Tupiniquim"  Condenar Lula (com o intuito escrachado de deixa-lo fora do processo eleitoral de 2018) é consolidá-lo, definitivamente, como "mito"!!! Nesta pintura de cores fortes e contextualização bizarra (inclusive com data marcada), nasce, em 24 de janeiro de 2018, o "Sebastianismo tupiniquim", cuja existência (e disputa de seu legado) permanecerá no imaginário popular por décadas.

A elite brasileira está cavando sua própria cova Uma nova esquerda poderá nascer no Brasil pós-2018, a esquerda que não acreditará mais nas instituições, e que focará no processo revolucionário do Estado brasileiro. E dessa vez com o apoio em massa da classe média que está enfurecida com os aumentos básicos como o gás, gasolina, eletricidade e demais produtos de consumo. A elite brasileira está cavando sua própria cova!

Temer aumenta conta de luz em 15% e põe a culpa em São Pedro

Nem o santo escapa das maldades de Michel Temer. A conta de luz subirá para o consumidor residencial em até 15% em 2018, mas o peemedebista botará a culpa em São Pedro.

A inflação estimada para o ano que vem é de 4%, qual seja, 11% acima do índice IPCA.

O que encarece o preço da energia não é a falta de chuva, mas o sistema privado de gestão e a fome por lucro de sócios privados nas companhias mistas.

Temer “fez acordo com o capeta” para ficar no cargo, diz colunista da Folha

O articulista Pablo Ortello, na Folha de S. Paulo cita estudo da Eurasia Group para lembrar que Temer está num distante último lugar no ranking mundial de aprovação de líderes, bem atrás do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, enredado em graves escândalos de corrupção, e de Nicolás Maduro, cuja Venezuela vive uma crise política, econômica e humanitária sem precedentes.

O professor do curso de Gestão de Políticas Públicas da USP, Ortello afirma que somente o ‘acordo com o capeta’ para explicar a “longevidade” de Michel Temer no poder.

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Pergunta que não quer calar


Por que Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa e figura central para explicar o caixa dois da gestão tucana em São Paulo, acusado de receber R$ 100 milhões em propinas do operador Adir Assad e apontado por vários delatores como operador dos esquemas de José Serra e Geraldo Alckmin, não foi preso?

Constatação

Querer impedir o povo de ocupar as ruas de Porto Alegre, de forma ordeira e pacífica, no dia 24 de janeiro, no julgamento de Lula, é a mesma coisa que querer tampar o sol com a peneira. Não há fundamento, não é sensato e demonstra claramente a natureza do processo que derrubou Dilma e está causando tantos prejuízos aos trabalhadores e humilhando o nosso País no campo internacional.

As praças de Porto Alegre serão do povo


"Tiram do povo os seus direitos e querem tirar também o direito de lutar pelos seus direitos. Tiram a democracia do País e querem impedir que o povo lute pela democracia. Mas o povo chegará a Porto Alegre, alegre, combativo, organizado, em ordem, pronto para ocupar as ruas e as praças que são do povo, como o céu é do condor, segundo Castro Alves. O povo não faltará ao compromisso de 24 de janeiro, com o Lula, com a democracia, com a Porto Alegre indômita", diz o colunista Emir Sader.

"Não há Câmara de Vereadores, não há lei, não há decreto que o impedirá".

Dallagnol representa a hipocrisia a serviço do golpe


“Abusando das hipérboles, o rapaz adestrado nos EUA denuncia o indulto de 2017 como “presente de Natal aos corruptos” que, ainda por cima, “fulmina a estratégia de expansão das investigações com base em colaborações premiadas, o motor propulsor da Lava Jato”. 

"Ora, ora. Moro, Deltan e sua turma esculhambaram o mecanismo de delação premiada. Não exigiram provas das delações e concederam benefícios a mais de 150 réus. Todo o circo da Lava-Jato sempre foi montado para incriminar o PT e Lula”. 

domingo, 24 de dezembro de 2017

Roberto Irineu Marinho, faça uma mala maior

Julgamento de Marín leva Procurador de NY à Holanda

Conversa Afiada, 23/12/2017
A inevitável condenação (em Nova York !) do Marín, aquele que a Globo Overseas subornou com a ajuda do Marcelo Campos Pinto deu uma pista daquilo em que miram os procuradores de Nova York (que não vazam nada... ): a Globo!
Assim como quem não quer nada, um Procurador (americano) perguntou ao delator Burzaco: como é que a Globo opera na Holanda?
Azenha já explicou na TV Afiada como a Globo opera (suborna) na Holanda.
Assim como é inevitável o Marin morrer na cadeia - breve, será esse o mesmo destino do Ricardo Teixeira e del Nero, também pela Globo subornados -, um dos filhos do Roberto Marinho precisará fazer uma mala maior, como explica o Jamil Chade, do Estadão:

'Faça uma mala maior', disse agente ao cartola


Quando José Maria Marin foi surpreendido pela polícia em seu luxuoso quarto de hotel, em Zurique, na Suíça, no dia 27 de maio de 2015, recebeu uma recomendação dos agentes que o levaram: a mala que estava preparando era pequena demais. “Faça uma mala maior. Existe o risco de que isso não termine muito cedo”, disse um deles.
Eles sabiam do que falavam. Eram 6h10 da manhã daquela primavera europeia. Não houve chute na porta ou algemas. No luxuoso hotel Baur au Lac de Zurique, uma operação da polícia suíça daria início a uma revolução no futebol, com a prisão de alguns dos mais poderosos dirigentes do esporte em cooperação com o FBI.
Dois anos e meio depois, 41 cartolas foram indiciados e mais de uma dezena de federações viram seus presidentes serem presos por corrupção. No total, a Justiça americana já aplicou mais de US$ 190 milhões em multas. A Fifa, bilionária, foi obrigada a se refundar para não desaparecer e gastou US$ 60 milhões apenas com advogados.
Mas, se Marin foi considerado culpado, o julgamento e acordos de delação premiada mostraram de forma inédita as “entranhas do futebol brasileiro”, com revelações sobre como sede de Copas foram compradas, como jogos foram arranjados e como um sistema criminoso penetrou no futebol.
Para investigadores envolvidos no caso, a decisão anunciada nesta sexta-feira debilita Ricardo Teixeira e Marco Polo Del Nero, que tinham conseguido evitar uma prisão. Em ambos os casos citados diante do tribunal, a interpretação é de que eles também foram em parte julgados em suas ausências e que, para a Justiça brasileira, ficará cada vez mais difícil justificar a inexistência de um processo.
Nesta semana, enquanto aguardava a deliberação do júri, Marin foi visto por pessoas que acompanhavam o processo comendo banana na cafeteria do tribunal, sem cerimônias. Ao longo dos últimos dois anos, ele foi obrigado a buscar mais de R$ 60 milhões em garantias de crédito para sua fiança, para pagar por sua segurança e por um pequeno batalhão de advogados na Suíça, Estados Unidos e Brasil.
Para investigadores que conversaram com o Estado, Marin era apenas o elo mais fraco do esquema na CBF. Seu julgamento, segundo esses investigadores, serviu ainda assim como uma grande vitrine para o que de fato é o futebol no Brasil: um assunto pessoal de alguns dirigentes.
Marco Polo Del Nero, depois de manobrar o estatuto da CBF, continuou a mandar na entidade. Mas, foi afastado pela Fifa na semana passada, depois que gravações, evidências e testemunhas o terem apontado como receptor de US$ 6,5 milhões em propinas. Ainda que seus advogados garantam que ele vai se defender, na Fifa não existe qualquer pré-disposição a aceitar uma volta sua ao futebol.
Ricardo Teixeira, apontado como um dos artífices do esquema de corrupção em denúncias de outros cartolas presos, continua solto. Mas foram as investigações nos EUA que levaram a Espanha a abrir um processo que culminou na prisão de Sandro Rosell, ex-presidente do Barcelona, e emitir uma ordem internacional de prisão contra o brasileiro. Foi também o processo que levou Monaco e a França a descobrir depósitos em seu nome, enquanto o cerco também se fecha na Suíça.
Em tempo: não deixe de ler "Marín em cana, só falta a Globo" - PHA