Pesquisar este blog

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Salmo 90, 10-11


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A banalização do amor e do sexo


terça-feira, 27 de novembro de 2012

Seja humano...


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Cuidados ao entrar no carro e ligar o ar condicionado


Um carro estacionado na sombra durante um dia com as janelas fechadas pode conter de 400-800 mg. de Benzeno. Se está no sol a uma temperatura superior a 16º C., o nível de Benzeno subirá a 2000-4000 mg, 40 vezes mais o nível aceitável... 
A pessoa que entra no carro mantendo as janelas fechadas  inevitavelmente aspirará em rápida sucessão, excessivas quantidades desta toxina.
O Benzeno é uma toxina que afeta o rim e o fígado. E o que é pior, é extremamente difícil para o organismo expulsar esta substância tóxica.
Ar condicionado ou ar simples dos  Automóveis 
O manual do condutor indica que antes de ligar o ar condicionado, deve-se primeiramente abrir as janelas e deixá-las assim por um tempo de dois minutos,porém não especificam "o porquê", só deixam entender que é para seu "melhor funcionamento". 
Aqui vem a razão médica:
De acordo com um estudo realizado, o ar refrescante antes de sair frio, manda todo o ar do plástico quente o qual libera Benzeno, que causa câncer (leva-se um tempo para dar-se conta do odor do plástico quente no carro). Por isto é a importância de manteros vidros abertos uns minutos.
"Por favor não ligar o ar condicionado ou simplemente o ar, imediatamente ao entrar no carro.
Primeiramente deve-se abrir as janelas e depois de um momento, ligar o ar e manter as janelas abertas uns 2 (dois) minutos."


Além de causar câncer, o Benzeno envenena os ossos,  causa anemia e reduz as células brancas do sangue. 
Uma exposição  prolongada pode causar Leucemia, incrementando o risco de câncer. 
Também pode causar um aborto. O nível apropriado de Benzeno em lugares fechados é de 50 mg/929 cm2. 
Assim amigos, por favor, antes de entrar no carro, abrir as janelas e a porta para assim dar tempo a que o ar interior saia e disperse esta toxina mortal.
Colaboração de Edna Hellen/Novo Progresso

Complexo Hidrelétrico do Tapajós estaria no maior distrito aurífero do mundo

No território da bacia hidrográfica do Tapajós está inserida a chamada Província Mineral do Tapajós (PMT), com 100 mil quilômetros quadrados, considerada uma das maiores áreas de mineração e o maior distrito aurífero do mundo. Empresas nacionais e internacionais estão articuladas para explorar e expropriar, com o aval e financiamento do Estado, o potencial de riqueza no interior das terras indígenas. O ouro na região foi descoberto no início de 1950 e a sua exploração por garimpeiros tem sindo constante ao longo dos últimos 50 anos.

“A Brazilian Gold pretende usar os recursos da venda para avançar no desenvolvimento de seus projetos na região Norte, onde detém oito áreas na província mineral do Tapajós e duas na província aurífera de Alta Floresta, nas imediações de Tapajós.” Fonte: AGECO15/04/2011

Estima-se que tenham saído da PMT – oficial e ilegalmente – até hoje, cerca de 800 t de ouro, equivalente a 16 vezes a produção total de Serra Pelada. Isso significaria perto de US$ 2 bilhões, mas nos números oficiais só constam que foram produzidos, até 2006, aproximadamente 194 t[1].

Há presença maciça de garimpos na região, confirmados pela quantidade de pistas de pouso – 300 no Tapajós, 170 em Parima e 185 em Alta Floresta. O Projeto Província Mineral do Tapajós – Projeto PROMIN-TAPAJÓS foi criado em 1995 para buscar um nível confiável de conhecimento geológico e incentivar a pesquisa de depósitos de ouro e novos empreedimentos.

O ouro, aliado aos projetos hidrelétricos no Tapajós e Jamanxim que, coincidentemente, estão sobre a província mineral, vai pavimentar definitivamente a ocupação predatória da região.

Só a simples perspectiva de implantação de projetos hidrelétricos nas bacias do rio Tapajós e Teles Pires já é suficiente para induzir a ocupação de áreas protegidas da Amazônia. A extração de minério, garimpo do ouro e as novas concessões de direitos minerários trarão consigo outro ciclo de exploração madeireira. Novos impactos atingirão os territórios indígenas.

Na outra ponta, a extração vegetal do açaí e da castanha-do-pará que ocorre em todos os municípios da bacia do Tapajós, com destaque para Santarém e Jacareacanga estará ameaçada. Há ainda grandes desafios a serem superados: baixo retorno financeiro, desequilíbrio entre oferta e demanda, falta de políticas públicas e limitada capacidade de suporte da natureza. A construção de hidrelétricas não corrigirá essas deficiências e não conduzirá ao desenvolvimento sustentável da região.

O extrativismo mineral clandestino continua num ritmo acelerado. Também não há fiscalização da garimpagem livre do ouro nos rios dentro ou fora das terras indígenas. Mineração ilegal é caminho certo na direção da degradação ambiental e da contaminação dos recursos hídricos. No Departamento Nacional de Produção Minerária (DNPM) tramitam 17.408 processos minerários em análise, a caminho da exploração.

Os municípios da região da bacia do rio Tapajós foram recompensados com a riqueza natural das reservas florestais e minerais, recursos hídricos, estoque pesqueiro, exuberância cênica e vocação turística. O governo federal entende erroneamente que para agregar valor aos produtos primários da região e fortalecer a economia local e regional deve estimular um desenvolvimento artificial. Encabeçando a lista de prioridades para atingir seu objetivo está o incentivo à exploração do potencial hidrelétrico com um conjunto de usinas nos rios Tapajós e Teles Pires e Juruena.

Grandes grupos mineradores, incentivados pelas facilidades concedidas pelo governo federal aos projetos hidrelétricos na Amazônia – usinas do Madeira e Belo Monte, já disputam espaço na exploração das reservas minerais. De olho nessa riqueza, se prepara a abertura das terras indígenas à mineração com um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados[2].

Empresas nacionais e internacionais pretendem aumentar sua capacidade de produção explorando as terras indígenas. Aumenta a demanda global por recursos minerais.

O Complexo do Tapajós vai catalisar a ocupação da região e dar força, também, ao avanço da fronteira agrícola sobre os ecossistemas. Infelizmente, a escolha do governo ao favorecer a construção de grandes e pequenas hidrelétricas visa favorecer o agronegócio, o comércio exterior de soja e a industrialização na região, a qualquer custo.

O projeto da hidrovia Tapajós – Teles Pires, na esteira das hidrelétricas, é predatório e vai servir só para facilitar o escoamento da produção agropecuária e minerária da região. O projeto excluiu qualquer possibilidade de consulta aos povos indígenas. As hidrelétricas em sequência nos rios Tapajós e Teles Pires e a construção de eclusas vai permitir a navegação de grandes comboios. Os reservatórios e os derrocamentos do leito do rio (retirada das pedras) visam superar as barreiras naturais dos trechos encachoeirados desses rios.

A transposição de desnível será possível para as embarcações. Espécies de peixes, no entanto, como a “matrinxã” e várias outras não adaptadas para viverem em lagos, serão extintas em toda a extensão do rio Teles Pires. Na hidrelétrica Sinop, no rio Teles Pires, está prevista a construção de uma grande eclusa com largura superior à de Tucuruí, recém-inaugurada.

Outro setor que pressiona a construção de complexos hidrelétricos na região da bacia do Tapajós é o das indústrias eletrointensivas. Em Juruti, extremo oeste do Pará, a Alcoa teve aprovada a licença de instalação de mineração de bauxita para construir uma planta de beneficiamento, um porto fluvial e uma ferrovia.

Grandes indústrias cujo principal insumo é a energia buscam locais em que há planos de construção de usinas hidrelétricas. A implantação dessas indústrias traz impactos significativos às regiões onde se instalam. Com os projetos vem o aumento das receitas dos municípios, mas traz consigo a migração, a pressão sobre a infra-estrutura, serviços públicos, recursos naturais e o recrudescimento dos conflitos fundiários.

Telma Monteiro

Fonte: EcoDebates, 11/08/11

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Aumenta o número de ligações clandestinas de energia elétrica

No País da malandragem tudo é possível. Inclusive, segundo os bastidores, a existência de "empresas" para fazer as ligações clandestinas de energia elétrica  ou os famosos "gatos". Também é voz corrente na cidade de que funcionários da própria Rede Celpa fazem "gatos"

Em todo o Pará as ligações clandestinas se avolumam, causam problemas a todos os usuários e a conta dos que não fazem "gatos" ficam mais caras. Quando não, é a empresa concessionária de energia elétrica que "quebra", vai a falência. É o que está acontecendo com a Rede Celpa, que segundo se comenta foi vendida por um real!

Outro complicador é a constante baixa de voltagem, que queima aparelhos e implica em outros problemas. Além deste, outro possível indicador da gataria é a falta de energia elétrica.

Enquanto os bons usuários pagam preços absurdos pelo consumo do período, os "ladrões de energia elétrica" pagam alguns reais para funcionar vários aparelhos de ar condicionado e outros eletrodomésticos que consomem bastante.  

A que ponto chegamos! Valha-nos quem?

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

A dívida externa brasileira cada vez aumenta mais


O Governo Lula, como afirmam muitos, não pagou nossa divida externa e sim a do FMI. A nossa dívida externa, para quem não sabe, corresponde à soma dos débitos externos do Brasil.  

A posição estimada da dívida externa total em fevereiro de 2011 registrou US$271 bilhões. Para efeito de comparação, esse valor era de US$ 214,93 bilhões no ano de 2003, quando Lula assumiu a Presidência da República.

Dizer que o Brasil não tem mais dívida externa é mentir descaradamente para a população!

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Explosão demográfica de Itaituba


O município de Itaituba tem hoje, segundo o IBGE, cerca de 103 mil habitantes. Com o advento da construção das hidrelétricas e de mais 14 portos graneleiros, saltará para estimadamente 283 mil habitantes. Some-se esses projetos desenvolvimentistas os da iniciativa privada, que se instala nos espaços abertos pelo governo.

A construção das cinco hidrelétricas com recursos do PAC, segundo dados do Governo Federal vai gerar 25 mil empregos diretos e 50 empregos indiretos. Dos diretos, Itaituba ficará, na melhor das hipóteses com 2 mil empregos, porque tem pouca mão-de-obra qualificada. Portanto, de fora virão 23 mil trabalhadores; dos 50 mil empregos indiretos, cerca de 15 mil serão de Itaituba e 35 mil, de fora. A construção dos portos gerará cerca de 10 mil empregos.

Ora, a soma dos trabalhadores vindos de fora é igual a 68 mil, destes cerca de 34 mil, têm famílias, que em média é composta por mais 3 pessoas( o cônjuge e 2 filhos) , o que implica em mais 102 mil pessoas. Não é difícil pensar que pelo menos 10 mil marginais virão no faro da "dinheirama" que vai circular por aqui.

Na prática, a população vai triplicar dentro de 6 a 8 anos a partir do início dos grandes projetos e haja políticas públicas para atender as muitas demandas oriundas dessa explosão demográfica!

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Justiça bloqueia licença para Usina São Luiz do Tapajós


Da Agência Brasil

Brasília – A Justiça Federal em Santarém (PA) proibiu a concessão de licença ambiental para a Usina São Luiz do Tapajós, localizada no Rio Tapajós, no Pará, enquanto os índios afetados não forem ouvidos e não houver avaliação ambiental integrada dos impactos de todas as usinas planejadas para a bacia fluvial.

A decisão atende ao pedido do Ministério Público Federal no Pará (MPF-PA), que informa que a obra afetará a Terra Indígena Munduruku, onde vivem mais de 10 mil indígenas, além de unidades de conservação ambiental, comunidades quilombolas, cidades e reservas extrativistas.

Segundo o MPF, o juiz José Airton de Aguiar Portela fixou multa diária de R$ 100 mil em caso de desobediência à proibição. “O poder público não pode negligenciar regras que ele próprio instituiu, por mais urgentes que sejam as demandas energéticas do país”, informa trecho da decisão.

Edição: Fábio Massalli
Fonte:Jornal Correio do Brasil, 20/11/12

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Transamazônica está interditada

Agricultores fecham a rodovia para cobrar direitos historicamente negados

Cerca de 500 agricultores trancaram na madrugada desta segunda-feira (19) a rodovia Transamazônica e BR 163 na altura do Km 140 (Ponte Grande), município de Rurópolis, oeste do Pará. O objetivo é negociar com o governo as demandas históricas da região, sempre abandonada pelo poder público.
Os agricultores exigem o asfaltamento das  rodovia Transamazônica (Rurópolis ao Km 30) e da Cuiabá/Santarém, acesso à energia elétrica, regularização fundiária e revisão das unidades de conservação que sobrepõem assentamentos já existentes, além de políticas públicas nas áreas de educação, saúde e segurança.
A ocupação da região foi incentivada pela Ditadura Militar nas décadas de 70 e 80, sob o lema “Integrar para não entregar”. Muitos “colonos” de diversas regiões país, como nordeste e sul, foram incentivados a se instalarem no local com a promessa de desenvolver a região. No entanto, após 30 anos, o que se vê é o completo abandono da região pelo Governo Federal e Estadual.
Neste momento, a região vive mais um ciclo de desenvolvimento econômico impulsionado por mega projetos do capital internacional e nacional e gerenciado pela política do Governo Federal, entre eles: o agronegócio, construção de portos e hidrelétricas. Como contrapartida para a população regional, no governo Lula foi criado o Plano de Desenvolvimento Sustentável da BR 163, que lamentavelmente nunca saiu do papel.
“As conquistas que tivemos são fruto de muita luta, de muitas pessoas que se doaram, de manifestações, então estamos retomando esse processo, reunindo os trabalhadores para começar uma nova etapa de lutas”, afirma Marcelino Lira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rurópolis.
A manifestação deverá prosseguir até que seja aberto um processo de diálogo e negociação com representantes de órgãos do Governo Federal e Estadual, como MDA, INCRA, MME, Terra Legal e Comitê Gestor Estadual do Programa Luz para Todos.
Participam da mobilização os trabalhadores organizados nos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Rurópolis, Itaituba, Trairão e Aveiro, além de movimentos sociais como o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), a Comissão Pastoral da Terra (CPT), Comissão Justiça e Paz e associações de agricultores.
Fonte: Comissão Organizadora, 19/11/12

sábado, 17 de novembro de 2012

Ibama apreende madeira nobre retirada ilegalmente de floresta no oeste do Pará

17/11/2012 12:33,  Por Redação, com ABr - de Brasília


No local, que fica às margens do Rio Curuatinga, os  fiscais ainda encontraram uma uma balsa com 70 toras de madeira que seriam levadas para abastecer empresas na capital do estado
Fiscais do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Ibama) apreenderam 915 toras de madeiras nobres, como maçaranduba, ipê e jatobá, durante ação montada para desarticular um esquema de exploração ilegal de madeira no oeste do Pará. A poucos quilômetros de Santarém, os agentes ambientais, que chegaram de helicóptero em uma área isolada da floresta, flagraram os madeireiros em atividade durante o dia e conseguiram apreender um caminhão e dois tratores.
No local, que fica às margens do Rio Curuatinga, os fiscais ainda encontraram uma uma balsa com 70 toras de madeira que seriam levadas para abastecer empresas na capital do estado.
De acordo com os agentes ambientais, essa região do Rio Curuatinga é alvo constante de ações ilegais de extratores de madeira que vêm de Santarém e de municípios como Prainha, Uruará e Medicilândia. Como é uma região extensa e de difícil acesso, os criminosos conseguem escoar facilmente a madeira pelo Rio Amazonas até Belém, de onde é exportada para a Europa e os Estados Unidos.
Segundo informações dos fiscais do Ibama, muitas madeireiras que estão sediadas em Santarém financiam o crime ambiental. O chefe de Fiscalização do Ibama na capital paraense, Tiago Jara, explicou que depois que a madeira é retirada da floresta, os infratores “esquentam” o produto com documentos fraudados, antes mesmo dela ser entregue nos pátios dessas empresas.
No local de extração ilegal, os agentes do Ibama ainda encontraram áreas de estocagem espalhadas na mata ao longo do rio. Representantes do órgão na cidade, garantiram que as margens serão monitoradas de helicóptero até a retirada das toras apreendidas, que serão usadas em obras sociais.
Fonte:Jornal Correio do Brasil, 17/11/12

Questionamento sobre as obras da Cuiabá/Santarém e Transamazônica

A recuperação e asfaltamento das  rodovias Transamazônica e Cuiabá/Santarém, estava acontecendo de forma acelerada. De repente, um série de denúncias de corrupção no DNIT, acenderam o sinal vermelho no Governo Federal. O que não se consegue entender é, se a sangria dos cofres públicos foi estancada, por que as obras estão devagar, quase parando? 

Rodovia Transamazônica deve ser interditada neste domingo


Informações dão conta de que neste domingo, lideranças do movimento social, dos municípios cortados pela Rodovia Transamazônica (BR 230), vão interditar a referida rodovia, na ponte do Km 132, no trecho Itaituba/Rurópolis.

Em pauta a falta de apoio para a agricultura familiar, a construção das hidrelétricas no Tapajós, a não regularização e não demarcação de terras rurais, a demora na recuperação e pavimentação das rodovias Transamazônica e Cuiabá/Santarém.

As lideranças querem a presença de representantes do governo, com poder de decidir sobre as reivindicações que serão apresentadas no movimento paredista. 

Segundo um líder que nos falou sobre o assunto, a interdição, a principio, deve ser de apenas um dia, o que será suficiente não só para chamar atenção do governo para os problemas que eles querem que sejam resolvidos, mas para complicar a vida de muita gente que dependerá da rodovia neste domingo.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Dois pesos e duas medidas!

O comportamento do PT diante da condenação do Supremo a Dirceu, Genoino e outros, no processo do Mensalão, é estranho. O Partido acaba de lançar um manifesto em defesa dos réus, classificando o julgamento de "político". Engraçado, quando Maria do Carmo, foi reconduzida a Prefeitura de Santarém, ficaram caladinhos!


 

PT lança manifesto em defesa dos réus do mensalão


A Executiva Nacional do PT divulgou, nesta quarta-feira, em São Paulo, manifesto em defesa dos réus no processo conhecido como mensalão e condenou o que classificou de "politização" do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O documento diz que houve forte pressão da mídia para influenciar o veredicto, questiona a "coincidência" do julgamento com o calendário eleitoral e o fato de a denúncia contra o Partido dos Trabalhadores ter sido julgada (pelo STF) antes do chamado mensalão mineiro, do PSDB. A cúpula petista diz esperar que o STF dê aos tucanos o mesmo tratamento dado ao seu partido. "Dois pesos e duas medidas, situações idênticas tratadas desigualmente", diz o texto.

O documento, dividido em cinco itens, destaca que o Supremo Tribunal Federal "não garantiu o amplo direito de defesa (dos réus), deu valor de provas a indícios e transformou indícios em provas". A cúpula petista criticou também o uso da teoria do domínio do fato para a condenação dos réus. Isso, de acordo com o PT, gera o risco de insegurança jurídica.

No último ponto da nota, a Executiva Nacional destaca que o STF fez um julgamento político do caso: "Sob intensa pressão da mídia conservadora, cujos veículos cumprem um papel de oposição ao governo e propagam a repulsa de uma certa elite ao PT, ministros do STF confirmaram condenações anunciadas, anteciparam votos à imprensa, pronunciaram-se fora dos autos e, por fim, imiscuíram-se em áreas reservadas ao Legislativo e ao Executivo, ferindo assim a independência entre os poderes."

Em coletiva de imprensa, o presidente nacional da sigla, Rui Falcão, disse que a maioria dos ministros do STF foi indicada pelo presidente Lula. "Diziam que era partidarização do STF. A partidarização foi a maneira que (o julgamento) foi usado nas eleições", criticou. Indagado se o julgamento não contribuía, de alguma maneira, para a democracia do País, Falcão disse: "Nós temos o direito de criticar", lembrando que o próprio governo do PT não interferiu para que o julgamento não se realizasse.

O presidente nacional do PT disse, ainda, que a legenda não vai ajudar os réus a pagar as multas impostas na condenação do STF. Porém, argumentou que o partido não irá impedir manifestações de filiados em favor dos condenados. "Tem toda uma legislação partidária que nos impede de dar essa ajuda, mas não vamos interferir nas manifestações (de ajuda) pessoais."

Na última segunda-feira, o Supremo impôs ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu uma pena de 10 anos e dez meses de cadeia, além de multa de R$ 676 mil. Para o Supremo, Dirceu era o chefe do mensalão. Já o ex-presidente do PT José Genoino recebeu pena de 6 anos e 11 meses de prisão e multa de R$ 468 mil. Delúbio Soares, ex-tesoureiro do partido, foi condenado a 8 anos e 11 meses, além de multa de R$ 325 mil. O deputado João Paulo Cunha (PT), ex-presidente da Câmara, também foi condenado por crimes de corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro.

Autor: Guilherme Waltenberg

Fonte: JusBrasil Notíciais, 14/11/12

PT boicota o encontro com presidente do Supremo



O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ayres Britto, reuniu nesta quarta-feira (14/9) presidentes dos Tribunais Superiores, de associações de juízes e líderes partidários do Congresso Nacional, com a intenção de melhorar as relações com o Parlamento. E ainda: alertar sobre a necessidade de valorização da magistratura e dos servidores do Judiciário.


Apesar de o convite ter sido feito a todas as lideranças, nenhum parlamentar do PT compareceu, o que mostra que o motivo da reunião se justifica. Compareceram ao café da manhã representantes do PMDB -Romero Jucá, Antônio Andrade e Henrique Alves -, Luciano Castro (PR) Mendes Thame (PSDB) , Lincoln Portela (PTR) e Sarney Filho (PV). O ministro Joaquim Barbosa, próximo presidente do STF, estava presente também, mas permaneceu calado durante a reunião.

Para um dos juízes presentes, a ausência do PT não deve ser entendida como protesto contra o mensalão "mas como uma indicação de que o governo não vai além dos 15,8% de reajuste".

Durante o encontro, Britto explicou aos líderes de partido a situação em que se encontra a magistratura, sem atualização remuneratória há quatro anos. Segundo ele, a categoria experimenta um processo de "temerário desprestígio". O presidente do STF acrescentou que essa situação se reflete nos concursos públicos. "A magistratura perde poder de competitividade. A procura por cargos de magistrado diminuiu preocupantemente", disse. "Quando a magistratura se desalenta e até deserta, migrando para outras áreas, o país experimenta um decréscimo."

Ayres Britto destacou ainda que a situação dos servidores do Poder Judiciário também é temerária e que os salários da categoria sofreram perdas inflacionárias superiores a 54%. De acordo com ele, "levas e levas" de servidores estão deixando o Judiciário para carreiras mais atraentes do ponto de vista remuneratório. "Estamos nos desprofisisonalizando. Isso é realidade, não é retórica. Temos tabelas e documentos comprovando isso", afirmou.

"Queremos uma compreensão do Poder Legislativo para esse estado de coisas, para essa quadra remuneratória preocupante. Que os senhores nos ajudem no sentido de nossa reprofissionalização."

Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Revista Consultor Jurídico, 14 de novembro de 2012
Com título de máteria adaptado pelo Sinjufego e foto extraída do site da Fenajufe

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Eliene Nunes participa de culto ecumênico de ação de graças

A prefeita de Itaituba, Eliene Nunes, que será empossada em 1º de janeiro, agradece a Deus pela vitória
(Foto: Gilson Vasconcelos)

Ontem, à noite, na quadra da Igreja de Deus, entre a 22ª e a 23ª ruas, Bela Vista, na cidade de Itaituba, o espaço foi pequeno para tanta gente que compareceu ao Culto Ecumênico de Ação de Graças, onde os presentes, agradeceram à Deus pela vitória de Eliene Nunes, que foi candidata a prefeita na última eleição do dia 07 de outubro de 2012.

Eliene lembrou as dificuldades que se apresentaram,  do momento de decidir se seria candidata até a campanha eleitoral. Dos apoios do PPS, PSB, PR, PCdoB e PRP, que ocorreram de última hora e definiram a eleição a seu favor. Ela, emocionada, recordou de uma revelação de que seria candidata a prefeita; das dificuldades financeiras para conduzir a campanha e disse que em todos os momentos, Deus determinou os acontecimentos.

Quadra lotada para participar do culto de ação de graças   (foto: Gilson Vasconcelos)

Cada líder religioso, no uso da palavra, falou da importância de Deus na vida do ser humano e na vida das autoridades. Todos abençoaram o governo que terá início em 1º de janeiro de 2013 e disseram acreditar num futuro melhor para Itaituba.

O evento também foi de descontração e de glorificação à Deus (foto:Gilson Vasconcelos)

Os participantes do evento tiveram muitos momentos de descontração e a glorificação à Deus foi uma constante do início ao fim da programação. Cantores evangélicos e católicos deram ditaram o ritmo da noite abençoada e histórica de Itaituba. 

Itaituba recebeu R$ 364.540,14 para melhoria da infraestrutura da rede física da Educação

Cumprindo nosso papel de informar a sociedade, levamos ao conhecimento de todos a liberação de recursos para a Educação Municipal de Itaituba. Acompanhe:

CONVÊNIOS COM LIBERAÇÕES NO MÊS de outubro/2012
UF:
PA
Município:
ITAITUBA
Período:
13/10/2012 a 12/11/2012
Total liberado nos convênios que receberam recursos no período:
R$ 1.064.540,14

ESTE CONVENIO TEM POR OBJETO CONCEDER APOIO FINANCEIRO PARA IMPLEMENTACAO DAS ACOES EDUCACIONAIS CONSTANTES NO PLANO DE ACOES ARTICULADAS - PAR, NO .MBITO DO PLANO DE METAS COMPROMISSO TODOS PELA EDUCACAO, DO PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCACAO - PDE, QUE VISAM PROPORCIONAR ASOCIEDADE A MELHORIA DA INFRA-ESTRUTURA DA REDE FISICA ESCOLAR, COM A CONSTRUCAO DE ESCOLA(S) .
Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário


MINISTERIO DA EDUCACAO

PREF MUN DE ITAITUBA

1.156.209,23

16/10/2012

364.540,14
Parte inferior do formulário

Fonte: Portal da Transparência, 14/11/12 

Deputado Federal Dudimar Paxiúba fala sobre garimpagem ilegal no Tapajós

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, volto a abordar desta Tribuna a questão da garimpagem no Rio Tapajós. Na sessão do dia 15 de outubro, segunda-feira, manifestei minha preocupação pela forma como tem se desenvolvido a atividade garimpeira no município de Itaituba, especialmente a realizada através de balsas e dragas escariantes, diretamente no leito do Rio Tapajós.

Gostaria de esclarecer de uma vez por todas que não sou contra a garimpagem como maldosamente, tentando esquivar-se de suas responsabilidades, elevam-se algumas vozes, quase sempre as mesmas, que teimam em flertar com a ilegalidade. É bom registrar que já fui garimpeiro, na década 80, sendo exímio conhecedor de todo o processamento da atividade extrativista mineral desenvolvida na região do Tapajós.

Registro também que tenho inúmeros amigos garimpeiro. Entretanto, prevalecerá sempre o interesse coletivo e o respeito e cuidado pelo meio ambiente e recursos naturais que são bens preciosos oferecidos pelo planeta. A principal motivação de minha preocupação é o fato de que nossas reservas naturais estão sendo depredadas com uma rapidez impressionante.

Importante ressaltar que os garimpeiros, em muitos casos são também vítimas dessa garimpagem ilegal. Alguns enriquecem com a desgraça dos chamados escavadores da terra. Quem banca essa garimpagem ilegal sempre passou incólume, pois sempre se prevaleceu do discurso de que esse tipo de garimpagem é a unida saída para a combalida economia do município de Itaituba. Discordo deste ponto de vista, no meu entender há outras alternativas econômicas que respeitem o estado democrático de direito.

Condeno o garimpo predatório que considero algo como pré-histórico. Defendo, intransigentemente, um exploração mineral organizada, com respeito às leis ambientais, recolhendo os impostos devidos e gerando emprego, como ocorre em outras regiões. Atrevo-me a dizer que o garimpo predatório poderia até estar servindo para fomentar o contrabando de nossas riquezas minerais. Não queiram, alguns paladinos da verdade, confundir a opinião pública na ânsia de defender a garimpagem ilegal, colocando-a como algo benéfico para Itaituba, quando na realidade não é.

Creio que devamos lutar para garantir a sobrevivência do planeta e, consequentemente, a nossa sobrevivência, essa é nossa obrigação e nosso dever. E só conseguiremos atingir esses objetivos se conservarmos os recursos naturais. Por conseguinte, sou defensor intransigente do desenvolvimento sustentável.

Há necessidade de consolidarmos no município de Itaituba, novos modelos de desenvolvimento sustentável que exijam a construção de alternativas da utilização dos recursos orientadas por uma racionalidade ambiental. Tenho observado que a destruição da natureza, base da vida, através de contaminação e degradação de nossos ecossistemas, cresce vertiginosamente, razão pelo qual se torna necessário reduzir o impacto ambiental pra chegarmos, preferencialmente a curto prazo, a um desenvolvimento ecologicamente equilibrado.

Sou consciente de que o extrativismo mineral é responsável por parte significativa da economia privada do município de Itaituba. Entretanto, como explicar o fato do município nada arrecadar em decorrência dessa produção aurífera? Tem-se que admitir, portanto, que os órgãos competentes não mantêm o controle devido e necessário sobre as atividades desse setor produtivo.

Afinal, o que a sociedade itaitubense espera é que a garimpagem ilegal e predatória seja definitivamente proibida, dando lugar a uma garimpagem dentro dos padrões gerais de legalidade e regulamentação, pois já pagamos um preço altíssimo, até com vidas, e um passivo ambiental incalculável.

Chegou a hora de moralizarmos as atividades econômicas no município de Itaituba, começando pela garimpagem.

Fonte: Blog do Gilson Vasconcelos, 14/11/12

Veja quando vale a pena trocar pontos do cartão de crédito

Especialistas apontam quais produtos compensam mais no resgate da pontuação acumulada e explicam como escapar das furadas
Danielle Brant e Olivia Alonso - iG São Paulo 

Comprar algo que você queria muito, ou fazer uma viagem internacional, sem desembolsar um tostão. Os programas de fidelidade de alguns dos maiores bancos do País prometem converter os gastos no cartão de crédito em artigos para a beleza, eletrodomésticos, passagens aéreas ou até cursos de inglês e doações a instituições de caridade. Mas é preciso atenção para ver se a troca é vantajosa ou não passa de furada, alertam os especialistas.
A primeira estratégia para usufruir dos benefícios, segundo Otto Nogami, professor de economia e finanças do Insper, é estudar as diferenças entre os programas de cada bandeira ou banco e escolher a que achar melhor. Além disso, vale a pena ser "fiel" a um programa de fidelidade. “Não adianta ter cinco ou seis cartões. Basta selecionar cartões de duas bandeiras de uma mesma instituição financeira e concentrar os gastos neles”, afirma.



Nogami lembra que nem sempre pontuar "a qualquer custo" é a melhor estratégia. Muitas pessoas jogam o pagamento de contas de telefone, luz e água no cartão de crédito para acumular pontos. “Mas elas se esquecem de que o valor daquela conta vai ser financiado até o vencimento do cartão. Tem juros para financiar isso”, alerta.
Mas, em geral, se você tiver controle para não gastar mais do que sua renda permite, os programas podem ser bons aliados. “Imagine utilizar o cartão de crédito com o objetivo de tirar férias? Você pode ganhar a passagem, e, se juntar pontos suficientes, até trocar por hotéis”, afirma Nogami.
A opinião é compartilhada por Geraldo Tardin, diretor do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec). Para ele, o melhor negócio são as viagens. “A utilização aconselhável é para aquisição de passagem aérea. Se trocar a bonificação na oferta de um produto, vai ver que a sanduicheira elétrica sai mais cara do que ir à loja e comprar”, ressalta.
Para Tardin, os programas não deixam de ser um estímulo ao consumo – por isso, é bom ficar alerta. “Você ganha a pontuação mesmo se optar pelo parcelamento mínimo. Ao final do pagamento, recebe a pontuação. Mas, se não houver controle financeiro, descarte esse tipo de programa”, diz.
“É preciso disciplina”, complementa Nogami. “Brincar com cartão de crédito é uma armadilha perigosa. A pessoa tem que ter um controle muito grande. Se tiver, consegue usufruir ao máximo os benefícios que o cartão possui”, diz.

Fonte: Ig, 14/11/12

terça-feira, 13 de novembro de 2012

José Dirceu é condenado a 10 anos e 10 meses de prisão pelo mensalão

Pena do ex-ministro apenas por formação de quadrilha foi determinada ontem pelo STF em 2 anos e 11 meses

O ex-ministro José Dirceu foi condenado ontem a 2 anos e 11 meses de prisão por formação de quadrilha na ação penal do chamado mensalão julgada no Supremo Tribunal Federal (STF). Somado à pena por corrupção ativa, o tempo de retenção de Dirceu chega a 10 anos e 10 meses.

O relator do processo, Joaquim Barbosa, mudou a ordem anunciada para votação da dosimetria dos réus condenados e iniciou ontem mesmo a análise do núcleo político e do ex ministro José Dirceu, condenado por formação de quadrilha e corrupção ativa.

Barbosa condenou José Dirceu a 2 anos e 11 meses por formação de quadrilha, voto que foi acompanhado por todos os ministros que condenaram o réu. A decisão causou novos embates na Corte e o ministro relator, Ricardo Lewandowski, acabou por se retirar do plenário depois de protestar pela falta de transparência do relator. Barbosa afirmou que decidiu iniciar o núcleo político "por ser pequeno e ter apenas seis penas".

O ex-presidente do PT, José Genoino, recebeu pena de 2 anos e 3 meses de prisão pelo crime de formação de quadrilha. Genoino também foi condenado por corrupção ativa e seu período total de reclusão foi determinado pelos juizes em 6 anos e 11 meses. O ex- tesoureiro do PT, Delúbio Soares, foi condenado a 8 anos e 11 meses de prisão, pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa.

Posse

Antes do início da sessão de ontem, do julgamento do mensalão e a pouco mais de uma semana de sua cerimônia de posse como novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Joaquim Barbosa foi ao Palácio do Planalto para convidar pessoalmente a presidente Dilma Rousseff para a solenidade, no dia 22 deste mês. A assessoria de imprensa da Presidência informou que Dilma comparecerá à cerimônia.

Tradicionalmente, a solenidade de posse na Corte Suprema marca o encontro dos presidentes dos Três Poderes - Executivo, Judiciário e Legislativo. Antes da cerimônia de posse, o ministro relator da Ação Penal 470 - o processo do mensalão assume interinamente a funcão no dia 19, devido à aposentadoria do atual presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, que completa 70 anos.

Inicialmente, houve dúvidas se a presidente compareceria à posse de Barbosa, já que ela via ja no próximo dia 15 para a Espanha e deve retornar apenas no dia 20, às vésperas da solenidade. Além disso, a audiência foi incluída na agenda de Dilma de última hora, inviabilizando a presença da presidente na cerimônia de lançamento da campanha de qualificação do Pronatec "Mulheres que Inovam".

Barbosa, de 58 anos, cumprirá dois anos de mandato como presidente do STF. A eleição do presidente da Corte ocorre por meio de um sistema de rodízio entre os integrantes da instituição, permitindo a alternáncia do poder. O vice presidente e próximo na linha de sucessão à presidência do Supremo será o ministro revisor do processo do mensalão, Ricardo Lewandowski.

Joaquim Barbosa será o primeiro presidente negro da Corte Suprema. Indicado para a instituição em 2003 pelo então presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, Barbosa é filho de dona de casa e pedreiro, nascido em Paracatu (Minas Gerais). Ele foi oficial de chancelaria, professor universitário e procurador do Ministério Público Federal. Fez doutorado na França e mestrado na Universidade de Brasília (UnB). É fluente em francês, inglês, alemão e italiano. (Brasil Econômico)

Fonte: JusBrasil Notícias, 13/11/12

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Mineirinho denunciado ao fiscal do Ibama/Piada


Um fiscal do Ibama recebe uma denúncia e vai verificar. Dirige-se para a casa de um mineirinho. Chegando ao local sem se identificar, vai logo travando um diálogo:
Mineirinho denunciado ao fiscal do IbamaFiscal: - Bom dia.
Mineiro: - Bom dia, moço...
Fiscal: - Como vai a luta?
Mineiro: - Difici.
Fiscal: - Tem caçado muito?
Mineiro: - Uai sô, a semana passada matei 20 piriquitim. 

Fiscal: - Vinte?
Mineiro: - Fio, pega as cabeça dos piriquitim pro o homem vê.
Fiscal: - E paca, tem caçado muito? 

Mineirinho denunciado ao fiscal do IbamaMineiro: - Nossinhora, só uma nessa semana. Fio, trais a cabeça da paca.
Fiscal: - E outros animais silvestres, tem caçado muito?
Mineiro : - Um monte deles. Fio, trais as cabeça dos otros bicho pro homem aquerditá.
Fiscal: - Não tem passado por aqui nenhum fiscal do Ibama?
Mineiro - Craro moço, semana passada passou um. Fio, trais a cabeça do fiscal pro homem vê.
Fiscal: - Até outro dia. Obrigado pela atenção.
Mineiro: - Não tem de quê... Vorte sempre!

domingo, 11 de novembro de 2012

Ter a pia!!!???


Rafinha Bastos X Paulo Maluf


Rapidinhas

A quem condene a "Operação Eldorado" da Polícia Federal, desencadeada nos municípios de Itaituba, Jacareacanga e Trairão. Primeiro, a PF agiu por determinação superior. Segundo, as situações sobre as quais a Polícia Federal agiu, não são novidades pra ninguém. Há décadas ocorre a exploração ilegal do ouro nos garimpos do Tapajós. Em nossa região, mas que compensar, o crime enriquece mesmo!

Não dá pra empurrar o problema com a barriga. É preciso ter pulso, conhecimento de causa e vontade de fazer as coisas certas. Quando o Estado não se faz presente a sociedade começa a achar que o errado é certo. Nem branco nem índio tem o direito de extrair ouro ilegalmente! 

Justiça Eleitoral, partidos políticos e lideranças do movimento social, devem unir forças para que as pessoas que moram longe das seções eleitorais possam fazer as suas transferências. Desta forma, diminui a despesa com transporte de eleitores e o risco de acidentes, inclusive os fatais. 

É grande a expectativa de que a administração da prefeita Eliene Nunes, que se iniciará em 1º de janeiro vindouro, seja focada nos pontos que mais interessam a sociedade: melhorias da saúde e educação, políticas de geração de emprego e renda, planejamento eficiente, secretarias mais dinâmicas, infraestruturação da cidade, etc.

Hoje, de madrugada, a chuva que caiu sobre Itaituba, parecia sinalizar com um início de inverno!