Pesquisar este blog

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Desrespeito a legislação eleitoral

A legislação eleitoral é muito clara, propaganda volante só entre 8 e 22 horas. No entanto, eu vi um carro vermelho, antes das 8 horas, ontem, fazendo propaganda eleitoral de Roselito Soares, na 14ª Rua, Bairro da Bela Vista.

A noite, o mesmo candidato e seus cabos eleitorais, num dos intervalos de apresentação do desfile das escolas, encerrando as as festividades da Semana da Pátria, adentrou a Avenida Getúlio Vargas, numa clara demonstração de campanha eleitoral. Isso não é desrespeito a lei que trata de propaganda eleitoral?

Quais os reais objetivos de Roselito Soares nesta eleição?

Eis a pergunta que não calar! Mesmo tendo sua candidatura rejeitada pelo Tribunal Regional Eleitoral, por conta de dois pedidos de impugnação da mesma por parte do Ministério Público Federal e sabedor de que as possibilidades de obter vitória junto ao Tribunal Superior Eleitoral são mínimas, Roselito Soares insiste em colocar sua campanha nas ruas de Itaituba. Por quê?

Antes de colocar a campanha nas ruas comentam que ele chantagiou a governadora propalando um possível apoio a Jatene e para ter esse apoio a sua candidatura Ana Júlia pode ter cedido a chantagem. Ademais, fica claro para qualquer bom entendedor que os reais objetivos de Roselito nessa campanha é continuar em evidência. Ele perdeu os direitos políticos por oito anos e, até 2018 não poderá ser candidato. Mas, aproveita este momento para ficar na "boca do povo" e pretende, na próxima eleição, lançar seu filho como candidato a prefeito de Itaituba.

Por outro lado, sabe-se que cabos eleitorais dele estão pedindo voto para Jatene. Se a governadora fez acordo com ele, não tá valendo.

Salvo melhor juízo acontecerá a Roselito Soares o mesmo que aconteceu a Jandira, ao Gonçalves e a tantos outros que insistiram em suas candidaturas e seus votos não foram computados pela Justiça Eleitoral em 2008. Também vi esse filme em 2000, em Novo Progresso, quando Adécio Piran foi o mais votado para vereador e nos boletins da Justiça Eleitoral não apareceu nenhum voto.